Saiba o que fazer para acabar com a dor do torcicolo

Saiba o que fazer para acabar com a dor do torcicolo

Atualizado: Quinta-feira, 20 Outubro de 2011 as 1:23

Quem é que nunca sofreu com o mal jeito no pescoço, popularmente conhecido como torcicolo? Segundo o ortopedista e médico do esporte Maurício Póvoa Barbosa, estima-se que no Brasil 55% da população sofra com o sintoma. Por isso é importante ficar alerta, pode haver algo errado com a sua coluna cervical.

“O torcicolo se traduz na dor e na dificuldade de movimentar o pescoço. Ele é um sintoma, ou seja, uma queixa do paciente. Não é um diagnóstico de causa. Somente o médico, com o auxílio de exames de imagem, pode detectar o problema”, afirma Maurício.

Segundo o ortopedista, a causa mais comum é a sobrecarga da musculatura da região cervical (pescoço). Além disso, pode ocorrer por diversos fatores, mas especialmente por peso, estresse e tensão, ou postura inadequada”, explica.

É importante lembrar que o músculo, quando sobrecarregado, desenvolve um quadro conhecido como “espasmo”, ou seja, uma contração contínua, não controlada e dolorida, que configura o torcicolo. “Quando há uma doença associada, por exemplo, um pinçamento de um nervo na coluna (hérnia de disco), o espasmo é uma tentativa do organismo em proteger a região. As doenças dos discos da coluna com osteófitos (bicos de papagaio, formações ósseas anormais) podem tornar os movimentos rígidos e dolorosos. Nos casos mais graves podem ser uma manifestação de doença neurológica”, alerta.

O ortopedista revela que a escolha correta do travesseiro e do colchão são fundamentais para evitar o problema. “O ideal é dormir de lado com um travesseiro que tenha a altura igual à distância entre a cabeça e o colchão”, aconselha.

Como tratar

Geralmente, são usadas compressas frias e quentes. As compressas frias têm efeito analgésico, já as quentes, possuem propriedades relaxantes e devem ser usadas por último. “Além disso, o especiaista pode prescrever analgésicos, relaxantes musculares ou anti-inflamatórios para amenizar o desconforto”, diz.

Maurício recomenda ainda que alongamentos suaves e de baixa intensidade podem auxiliar no controle do problema. No entanto, em alguns casos, a dor e o desconforto impedem que eles sejam feitos.

Como evitar a lesão 

· Não veja TV deitado;

· Evite leituras prolongadas na cama, prefira a posição lateral;

· Ao atender o telefone não prenda-o com o ombro;

· Na sua mesa de trabalho, por exemplo, os objetos mais usados não podem obrigá-lo a girar a cabeça com frequência. Eles precisam estar bastante acessíveis;

· Ao sentar, encoste-se bem na cadeira. Evite debruçar-se sobre a mesa;

· Não fique de costas para o ar condicionado, especialmente o frio;

· Não deixe os músculos do seu pescoço esfriarem-se subitamente;

· Durma de lado com os travesseiros na altura de forma que sua cabeça fique reta;

· Nos momentos tensos, relaxe. Perceba sua tensão, respire fundo e solte o ar sem fazer força.

 Quando é hora de procurar um médico: 

· Quando os sintomas persistirem por mais de 24 horas;

· Quando há perda força ou formigamento no braço;

· Quando, associado ao desconforto, houver dor de cabeça;

· Quando a dor estiver acompanhada de febre.

Quem mais sofre com o problema

· Quem trabalha em desvantagem postural;

· Quem está tenso, emocionalmente;

· Os sedentários;

· Quem trabalha em computadores, sem pausa e com monitores em posição inadequada.

veja também