Saiba os perigos dos sabonetes dermatologicamente testados

Saiba os perigos dos sabonetes dermatologicamente testados

Atualizado: Terça-feira, 29 Novembro de 2011 as 1:06

Com a chegada dos sabonetes íntimos, assim como dos lenços vaginais umedecidos, nas prateleiras de supermercados e farmácias de todo o País, muitas mulheres mudaram seus hábitos de higiene íntima. Se antes a vagina não tinha um cuidado diferenciado, agora, ganha um reforço com esses produtos que, segundo Paulo Giraldo, diretor científico da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia de São Paulo (Febrasgo), são recomendados a todas.

"A maioria dos produtos utilizados na higiene genital são testados dermatologicamente e só terão capacidade irritativa se usados inadequadamente", afirma Giraldo. A reação alérgica também pode ser comum em pacientes com hipersensibilidade. "As mesmas que, geralmente, já apresentam irritabilidade com outros produtos, tais como perfume, desodorante e esmalte", cita ele.

Ainda assim, a região genital feminina é muito sensível e estes produtos não estão isentos de causar irritação, mesmo tendo sido formulados especificamente para uso local, de acordo com a professora de Ginecologia da Faculdade de Medicina do ABC e Diretora do Hospital da Mulher de Santo André, Eliane Terezinha Rocha Mendes.

Química da alergia

Os grandes vilões da alergia são os sabonetes em barra, pois possuem compostos como parabenos, propilenoglicol, quaternium 15, clorexidine, imidazolidiniluréia, trietanolamina, irgasan (triclosan), perfumes, formaldeído, colofônio, e tioglicolato de amônio em sua formulação.

É recomendado ficar atento ao rótulo traseiro da embalagem e evitar os produtos que contenham essas substâncias, principalmente os "perfumes", destaca Eliane. "No caso dos sabonetes íntimos, opte pelos produtos compostos exclusivamente por ácido láctico com lactoserum, responsável pela proteção vaginal", diz.

É importante também, segundo Giraldo, ficar atento ao pH do sabonete. "O ideal é que o pH do produto seja mais ácido - entre 5,2 e 5,9 - para manter o pH vaginal ácido", diz ele, que explica que essa acidez é necessária para manter vivos os microorganismos e lactobacilos que vivem nessa região e têm como função proteger a mulher de possíveis infecções. "Evite comprar os sabonetes neutros ou alcalinos", recomenda.

E nada de usar sabonetes anticépticos sem recomendação médica. "Esse tipo de produto é recomendado exclusivamente para combater bactérias. Se usado sem necessidade, pode destruir a flora da mulher e acabar com a defesa dos lactobacilos", justifica Eliane.

veja também