São Paulo participa do manifesto pela modernização e democratização do tratamento do linfoma

São Paulo participa do manifesto pela modernização e democratização do tratamento do linfoma

Atualizado: Sexta-feira, 25 Setembro de 2009 as 12

A Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (ABRALE) realiza no próximo dia 28, das 8h às 14h, no vão livre do MASP, a campanha Linfoma é Câncer. Informação é Vida. O desafio da iniciativa é conseguir o maior número possível de adesões ao Manifesto pelo Direito de Acesso ao Melhor Tratamento, que será entregue ao ministro da Saúde, José Gomes Temporão. Os especialistas brasileiros consideram que a incidência do linfoma no País cresceu nas últimas duas décadas, de 4 a 5% ao ano. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2009, deverão ser registrados 11.970 casos da doença.

Durante a ação, serão disponibilizadas informações completas sobre a doença, os sintomas, o diagnóstico e os tratamentos disponíveis. Os artistas plásticos Romero Britto e Vera Ferro participarão da iniciativa com a imagem de uma obra estampada no símbolo da campanha – duas mãos de 4 metros cada uma -, que estará exposto no local.

"É fundamental que todos os brasileiros, independente da condição econômica, tenham acesso aos tratamentos mais modernos e eficientes e possam, assim, ampliar sua chance de cura e a qualidade de vida", esclarece a presidente da ABRALE, Merula Steagall. A iniciativa continua no dia 30 de setembro, no Largo da Carioca no Rio de Janeiro. Além disso, serão realizadas ações especiais em universidades de Campinas, Curitiba, Fortaleza, Goiânia, Porto Alegre, Recife e Salvador.

Atualmente, o tratamento que oferece a maior chance de cura para os pacientes com alguns tipos de linfomas é a combinação de quimioterapia associada a anticorpos monoclonais. Mas, essa alternativa não está disponível aos pacientes da rede pública. "Muitos acabam recorrendo à Justiça para conseguir o medicamento, mas isso provoca um desgaste muito grande para o paciente e a demora para o início da terapia. Com o manifesto, esperamos que o Ministério tome medidas para melhorar o tratamento no País", completa Merula.

O manifesto pede também, à Agência Nacional de Saúde (ANS), a atualização da cobertura mínima obrigatória de procedimentos para tratamento de doenças onco-hematológicas, que serve de referência para os atendimentos dos planos privados de saúde. Entre as mudanças solicitadas estão as inclusões do exame Pet Scan oncológico (tomografia por emissão de pósitrons), do transplante de medula óssea alogênico (feito a partir de células de doadores) e antineoplásicos orais.

Além disso, entre os pedidos do Manifesto estão o crescimento no número de leitos hospitalares para Transplante de Medula Óssea, de maneira que não seja mais necessário ao paciente aguardar quando já tiver um doador compatível identificado e a atualização da verba repassada pelo Governo aos hospitais para realização de procedimentos complexos (APAC), que está muito defasada em relação ao custo que representam ao centro de tratamento.   

O Manifesto pelo Direito de Acesso ao Melhor Tratamento pode ser acessado pelo site (www.linfoma.org.br).

Madrinha especial

Para reforçar a voz pelos pacientes, a campanha conta com uma madrinha especial, a escritora Glória Perez que recentemente foi diagnosticada com a doença e incluiu o tema nos últimos capítulos da novela Caminho das Índias. "Eu sou uma paciente que tive o diagnóstico precoce e acesso ao tratamento adequado. É importante que as pessoas saibam o que é este tipo de câncer e também busquem os exames e tratamentos adequados", afirma Glória Perez.

Tipos de linfomas

O Linfoma é um grupo de tumores malignos (cânceres) que se desenvolvem principalmente nos linfonodos (gânglios) do sistema linfático. O sistema linfático é um dos responsáveis pela defesa natural do organismo contra infecções. Tradicionalmente existem dois grupos de Linfomas: de Hodgkin e Não-Hodgkin, que correspondem respectivamente a 20% e 80% de todos os casos diagnosticados no Brasil e no mundo.

Tratamento

O tratamento pode variar de acordo com o estágio e o tipo de linfoma diagnosticado. Pode incluir uma ou mais formas de tratamento, como: quimioterapia, radioterapia, Imunoterapia (anticorpos monoclonais), cirurgia e transplante de medula óssea.

Atualmente o tratamento que oferece a maior chance de cura para os pacientes com alguns tipos de linfomas é a combinação de quimioterapia associada a anticorpos monoclonais. "Os anticorpos monoclonais representam um dos maiores avanços contra o câncer nos últimos anos", afirma o professor titular de Hematologia e Hemoterapia da Unicamp, Cármino Antonio de Souza.

Sintomas

O principal sintoma de linfoma é o inchaço indolor dos linfonodos (íngua) no pescoço, debaixo dos braços ou na virilha. Outros sintomas comuns são: febre persistente; coceira; suor (geralmente à noite); fadiga ou cansaço; dor abdominal; perda de peso inexplicada e pele áspera. Se ocorrer um ou mais desses sinais por mais de 15 dias, é importante procurar orientação médica para o correto diagnóstico do linfoma.

Serviço: Linfoma é Câncer. Informação é Vida

Data: 28 de setembro

Local: Vão livre do MASP - Av. Paulista, 1578

Horário: 8h às 14h

ABRALE

A Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia é uma Organização Não-Governamental (ONG), sem fins lucrativos. Sua missão é divulgar informações e oferecer suporte a pacientes com doenças onco-hematológicas (linfoma, leucemia, mieloma múltiplo e mielodisplasia), mobilizando parceiros para que o melhor tratamento esteja disponível no Brasil. A associação oferece atendimentos psicológico e jurídico, além de programas educacionais gratuitamente e orientação para que o paciente navegue pelo sistema público de saúde. Informações podem ser obtidas no site www.abrale.org.br ou pelo telefone 0800 773 99 73.

veja também