Saúde realiza 1º Mutirão do Coração do Estado de São Paulo

Saúde realiza 1º Mutirão do Coração do Estado de São Paulo

Atualizado: Quinta-feira, 25 Junho de 2009 as 12

A Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a prefeitura de São Paulo, prefeitura de Campinas e Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), realiza no próximo dia 27 de junho, sábado, das 9h às 17h, o 1º Mutirão do Coração do Estado de São Paulo.

O objetivo do mutirão é avaliar o risco que os pacientes atendidos têm de sofrer algum tipo de problema cardíaco nos próximos cinco anos. Para essa avaliação, os pacientes passarão por medição de peso, altura, circunferência abdominal e pressão, além de preencherem um questionário sobre seus hábitos de vida. Quem for avaliado como paciente de risco será encaminhado para acompanhamento em uma unidade pública de saúde.

A expectativa é atender 150 mil pessoas em São Paulo e Campinas nesta primeira edição do projeto, considerada piloto para a secretaria. Para isso, serão disponibilizadas 500 unidades de atendimento. Destas, 420 Unidades Básicas de Saúde do município de São Paulo, 50 unidades de Campinas e 30 hospitais da rede estadual de saúde.

Para participar não é necessário agendamento prévio, basta comparecer na unidade de saúde participante, apresentar CPF ou cartão do SUS. O endereço dos locais participantes e maiores informações podem ser obtidas por meio do site www.mutiraodocoracao.com.br .  

Durante o mutirão, todos os participantes receberão uma Cartilha do Coração, com orientações sobre fatores de risco cardiovascular como tabagismo, obesidade, hipertensão, colesterol alterado, triglicérides, diabetes e estresse. Além de dicas de exercícios físicos e de alimentação saudável, que vão ajudar os participantes a ter mais qualidade de vida e consequentemente uma saúde melhor.

"A prevenção é sempre a melhor opção para evitar problemas de saúde graves e o mutirão vem de encontro a essa política. Trata-se de um projeto-piloto, que deverá ser ampliado no próximo ano para outras cidades paulistas", afirma o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata.

A população com idade entre 35 e 74 anos faixa etária onde o risco é mais elevado_ receberá o resultado da avaliação de risco cardiovascular (baixo, moderado e alto) e uma carta com orientação para procurar um profissional da área de saúde para acompanhamento, caso seu risco seja avaliado como moderado ou alto. A carta também dará os parabéns para quem tiver um resultado positivo na avaliação. Pessoas abaixo de 35 e acima de 74 anos podem fazer as avaliações e terão os dados coletados, mas não receberão o resultado do risco, que é considerado impreciso pelos especialistas nestas faixas etárias.

veja também