Secretaria de Saúde vai reforçar ações de prevenção à dengue

Secretaria de Saúde vai reforçar ações de prevenção à dengue

Atualizado: Sexta-feira, 2 Outubro de 2009 as 12

O verão vai começar em alguns meses e todos devem lutar para evitar uma nova epidemia de dengue. No ano passado, foram quase 260 mil casos registrados no estado do Rio e 240 mortes. A Secretaria estadual de Saúde vai reforçar na próxima semana as ações de prevenção.

Por isso o RJTV faz o alerta: é preciso ficar de olho no mosquito desde já. Veja as dicas na reportagem de Susana Naspolini.

O professor Fernando mora em uma vila em Madureira. No ano passado, ele e toda a família levaram um baita susto.

"Minha filha, em abril do ano passado, teve dengue e quase faleceu", afirma o professor Fernando Casaes.

De lá para cá, ele conta que dobrou os cuidados com a dengue.

"Se você tiver alguma fresta aberta (na caixa d’água), de repente o mosquito entra. Ele adora água e sombra", alerta o infectologista Edimilson Migowski.

Pelo menos 80% dos focos do aedes aegypt se encontram dentro das casas. O ralo é um dos locais preferidos do mosquito.

"O ideal seria que você colocasse uma tela, tipo de filó, que permitisse que haja fluzo de água, mas que não permita que a fêmea do mosquito entre. Mesmo que a garrafa fique em local abrigado, não custa guardar com a tampa para baixo", afirma o infectologista.

Na residência de Dona Mary, há plantas por toda casa.

"Nota dez para a senhora. Tem areia e buracos no vaso para não acumular a água", elogia o infectologista.

Os cuidados dentro de casa são importantes, mas é preciso mais. Faltando pouco tempo para o calor e para as chuvas de verão, os moradores estão preocupados com um terreno vazio que fica ao lado da vila. Olhando do alto, dá para perceber que ele pode dar muita dor de cabeça.

"Não só dor de cabeça, como dor no corpo, nas articulações, febre alta, ou seja, dengue. Por isso é importante combater isso agora", alerta o infectologista Edimilson Migowski.

A Secretaria municipal de Saúde informou que uma equipe vai até esse terreno em Madureira que o RJ mostrou na reportagem para verificar a denúncia dos moradores e tomar as providências necessárias.

O verão vai começar em alguns meses e todos devem lutar para evitar uma nova epidemia de dengue. No ano passado, foram quase 260 mil casos registrados no estado do Rio e 240 mortes. A Secretaria estadual de Saúde vai reforçar na próxima semana as ações de prevenção.

Por isso o RJTV faz o alerta: é preciso ficar de olho no mosquito desde já. Veja as dicas na reportagem de Susana Naspolini.

O professor Fernando mora em uma vila em Madureira. No ano passado, ele e toda a família levaram um baita susto.

"Minha filha, em abril do ano passado, teve dengue e quase faleceu", afirma o professor Fernando Casaes.

De lá para cá, ele conta que dobrou os cuidados com a dengue.

"Se você tiver alguma fresta aberta (na caixa d’água), de repente o mosquito entra. Ele adora água e sombra", alerta o infectologista Edimilson Migowski.

Pelo menos 80% dos focos do aedes aegypt se encontram dentro das casas. O ralo é um dos locais preferidos do mosquito.

"O ideal seria que você colocasse uma tela, tipo de filó, que permitisse que haja fluzo de água, mas que não permita que a fêmea do mosquito entre. Mesmo que a garrafa fique em local abrigado, não custa guardar com a tampa para baixo", afirma o infectologista.

Na residência de Dona Mary, há plantas por toda casa.

"Nota dez para a senhora. Tem areia e buracos no vaso para não acumular a água", elogia o infectologista.

Os cuidados dentro de casa são importantes, mas é preciso mais. Faltando pouco tempo para o calor e para as chuvas de verão, os moradores estão preocupados com um terreno vazio que fica ao lado da vila. Olhando do alto, dá para perceber que ele pode dar muita dor de cabeça.

"Não só dor de cabeça, como dor no corpo, nas articulações, febre alta, ou seja, dengue. Por isso é importante combater isso agora", alerta o infectologista Edimilson Migowski.

A Secretaria municipal de Saúde informou que uma equipe vai até esse terreno em Madureira que o RJ mostrou na reportagem para verificar a denúncia dos moradores e tomar as providências necessárias.

veja também