Segundo estudo, ficar exposto à poluição, aumenta chances de ter doenças do coração.

Poluição do ar causa doenças cardiovasculares

Atualizado: Quinta-feira, 18 Abril de 2013 as 12:56

 

As grandes cidades são propícias à um volume elevado de poluição e com isso, um risco maior de contrair doenças respiratório e cardiovasculares. Segundo estudo realizado pela Sociedade Europeia de Cardiologia, foi relacionado a alta exposição a particular finas, que em parte são entregues pela poluição, pode aumentar problemas cardiovasculares.
 
O coração, assim como os pulmões, estão em risco quando expostos às sujeiras do ar, causada pelos veículos.
 
Foram analisas 4.814 pessoas, com idade média de 60 anos e que viviam próximos a vias de tráfego intenso na cidade. Foi medida o nível de  aterosclerose, ou seja, o acúmulo de placas de colesterol nas artérias, usando como marcador a calcificação da artéria aorta torácica, através de tomografias computadorizadas.
 
Poluição causa doenças cardiovascularesOs pesquisadores obteram como resultados, que quanto mais próximo dessas grandes vias, havia uma elevação nessa calcificação. A cada 2.4 micrometros de volume de partículas a mais no ar, havia um aumento de 20.7% desse marcador, e a cada 100 metros de proximidade dessas ruas e avenidas mais movimentadas, a incidência de calcificação subia em 10%.
 
O estudo analisou a relação entre a poluição sonora, causada pelo trânsito e a aterosclerose. Foi constatado essas partículas finas quanto o barulho interferem no sistema nervoso autônomo, que alimenta os mecanismos reguladores da pressão arterial, nível de lipídios e glicose no sangue, além de sua viscosidade e coagulação.
 
Existem algumas prevenções contra doenças cardiovasculares, a maior causa de mortes o Brasil, matando cerca de 800 mil brasileiros por ano. Confira quais os hábitos que previne contra esse mal.
 
Sono reparador
Estudos alertam para uma noite bem dormida. Com a qualidade do sono prejudicado, crescem os ricos de acidentes, por conta da sonolência, e de ataques cardíacos em função do estresse. 
 
Troque o óleo por azeite
Prefira os óleos vegetais. Na luta para abaixar os níveis de colesterol, em vez de apenas restringir o consumo dos tradicionais vilões do coração (como as gorduras saturadas), você pode recorrer à ajuda de alguns mocinhos.
 
Carne com cautela
Maneire nas carnes. Principalmente a carne vermelha apresenta uma quantidade maior de colesterol.
 
Vitamina
Vitamina D. Um estudo realizado pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, revelou que 20% dos casos de hipertensão em mulheres estão associados ao descontrole dos níveis da pressão arterial em decorrência da falta de vitamina D no organismo. Este nutriente pode ser encontrado em alimentos como a manteiga, gema de ovo, fígado, entre outros, mas sua principal fonte de absorção é a luz solar. Portanto, 15 minutinhos de exposição ao sol são mais do que recomendados. O nutriente também é importante no processo de absorção de cálcio e fósforo no intestino e na mineralização, ou seja, crescimento e reparo dos ossos.
 
Ouça música
O diretor da cardiologia da instituição, Michael Miller, explica que ocorreu um aumento de 26% no diâmetro dos vasos, enquanto ao ouvirem uma música que não agradava ocorria uma redução de 6%. Dessa forma, o sangue flui mais facilmente, reduzindo as chances de formação de coágulos que causam infartos e derrames, além de reduzir os riscos do endurecimento dos vasos, característicos da aterosclerose.
 
Cuidado dentário
Use fio dental. Uma pesquisa feita por cientistas da Itália e do Reino Unido, publicada no site do Jornal da Faseb (do inglês, "The Federation of American Societies for Experimental Biology"), mostra que gengivas infectadas podem ser um fator de risco para desenvolver problemas no coração.
 
Com informações de: Minha Vida

veja também