Seis em cada 10 pessoas conseguem fazer transplante de medula óssea no Brasil

Seis em cada 10 pessoas conseguem fazer transplante de medula óssea no Brasil

Atualizado: Quinta-feira, 19 Agosto de 2010 as 9:41

O Ministério da Saúde lança esta semana uma campanha para incentivar a doação de medula óssea com uma boa notícia sobre o assunto. A chance de um paciente conseguir um doador no Brasil passou de 10% para 64% em dez anos. Isso quer dizer que de cada dez pacientes, seis e meio conseguem fazer o transplante no país.

A medula óssea, que é um líquido, é responsável pela produção de hemácias, leucócitos e plaquetas presentes no sangue. O transplante desse tecido é indicado para alguns tipos de leucemia. O problema, que progride rapidamente, faz com que a medula produza um grande número de células sanguíneas anormais.

O ato de doar abre portas para milhares de vidas novas entre os portadores de leucemia, tipo grave de câncer que atinge o sangue. Porque após o transplante, em que os médicos substituem a medula doente por meio de um método muito parecido com a transfusão de sangue, a expectativa é que o corpo passe a produzir células normais novamente. Para ser submetido ao procedimento, o paciente é internado e passa por quimioterapia (às vezes também por radioterapia) para destruir o tecido velho.

Até o ano 2000, quem não conseguia o transplante de medula óssea na família, precisava recorrer aos bancos internacionais de medula.

O Brasil já tem o terceiro maior banco de medula óssea do mundo, com mais de 1,7 milhão e 700. O tempo de espera despencou na última década.

Assista a reportagem completa do Jornal da Record.

veja também