Sensibilidade à luz pode indicar doenças oculares, alerta especialista

Sensibilidade à luz pode indicar doenças oculares, alerta especialista

Atualizado: Sexta-feira, 21 Agosto de 2009 as 12

A forte sensibilidade dos olhos à luz - problema conhecido como fotofobia - pode ser uma reação corriqueira do organismo ao excesso de luminosidade, mas também pode sinalizar problemas mais sérios, como astigmatismo ou uveíte, segundo o oftalmologista Eduardo Rocha, do Hospital Oftalmológico de Brasília (DF). Por isso, o especialista aconselha a investigação oftalmológica assim que os sintomas de incômodo com a claridade excessiva se manifestarem.

De acordo com o oftalmologista, as queixas mais comuns são a dificuldade de sair ao sol sem a proteção de óculos escuros e dores de cabeça ao final de um dia de muita claridade externa. "A retina é formada por células fotossensíveis. Quando há algum problema, os olhos passam a repelir o excesso de informação, no caso, a luz, gerando o desconforto", explica.

O especialista destaca que a fotofobia geralmente é um sinal de processos inflamatórios no globo ocular, sejam intra ou extra-oculares, e dificilmente ocorre em um olho "normal". "Muitos pacientes procuram o oftalmologista queixando-se de intolerância à luz. No entanto, depois de uma análise mais detalhada, descobre-se que a pessoa tem algum tipo de doença ocular, como um astigmatismo mal corrigido, conjuntivite ou uveíte".

Pelo fato de a fotofobia estar relacionada a outros distúrbios visuais, o recomendado é que as pessoas procurem um médico - não apenas um oftalmologista, como também um clínico geral - ao primeiro sinal de incômodo. "Como se trata de um sintoma e não uma doença em si, a fotofobia é eliminada quando a causa é sanada. Enquanto isso, os pacientes devem usar óculos de sol e evitar locais excessivamente iluminados", conclui o oftalmologista.

veja também