Ser obeso por muito tempo está ligado ao maior risco de morte

Ser obeso por muito tempo está ligado ao maior risco de morte

Atualizado: Quinta-feira, 14 Abril de 2011 as 10:34

De acordo com um estudo feito pela Monash University , na Austrália, a quantidade de anos vividos comobesidade   ou sobrepeso está diretamente associada ao risco de mortalidade, independente do Índice de Massa Corpórea. Esse estudo mostrou que, além do excesso de peso, a duração da obesidade pode determinar uma redução significativa na   expectativa de vida.  

O estudo usou dados de outras pesquisas feitas durante 48 anos e analisou a ficha de mais de cinco mil pessoas. Informações como peso, idade, histórico de doenças e qualidade de vida foram levadas em conta no resultado do estudo. Os cientistas descobriram que pessoas que viveram como obesos durante cinco a 15 anos tinham um risco de mortalidade duas vezes maior do que indivíduos que nunca foram obesos. O estudo ainda mostrou que as chances de morrer quase triplicam para aquelas pessoas que vivem mais de 15 anos como obesos. Segundo os pesquisadores, o desenvolvimento de doenças como diabetes, doenças cardiovasculares e câncer tem relação com a duração do quadro da obesidade.  

Os cientistas alertam que mesmo um período curto acima do peso, como dois ou três anos, aumenta as chances de morte em 6%, e por isso as pessoas não devem deixar a busca para perder peso para depois. 

Combata a obesidade

Fechar a boca para comer menos não é a melhora maneira de combater a excesso de peso. O tratamento para a obesidade terá mais sucesso se você criar um plano de longo prazo com seu médico. Um ponto de partida pode ser começar a fazer mudanças no seu estilo de vida, limitando as calorias e fazendo exercícios físicos. Ou seja, seu primeiro objetivo deve ser melhorar a saúde, não atingir o peso ideal. "Apesar de a fórmula gastar mais calorias do que ingerir pareça ser fácil, ela é difícil de atingir e de manter. Por isso é necessário o acompanhamento de um profissional qualificado", diz a nutricionista Roberta Stella.  

Além das mudanças no estilo de vida, remédios e cirurgias podem ser uma opção para algumas pessoas. O tratamento que você precisa vai depender do nível de obesidade, sua saúde de uma forma feral e sua motivação para perder peso.  

Os manuais de saúde sugerem que as pessoas devem tentar implementar mudanças por pelo menos seis meses antes de partir para remédios ou cirurgias. Caso você tenha diabetes do tipo 2 ou doenças coronarianas, isso pode ser recomendado antes dos seis meses. Remédios para a obesidade funcionam de diferentes formas. "Dependendo do medicamento, ele pode fazer você se sentir logo satisfeito, restringir a absorção de gordura e controlar a vontade de comer. É sempre importante lembrar que eles só devem ser usados em casos extremos de obesidade", alerta Roberta. Já a cirurgia é usada para reduzir o tamanho do estômago e controlar a quantidade de calorias absorvida pelos intestinos. Seu médico também pode sugerir a terapia. Caso você use a comida para lidar com a depressão, solidão ou ansiedade, precisa aprender novas técnicas para lidar com esses sentimentos.   

veja também