Shoppings apostam em "fast food saudável"

Shoppings apostam em "fast food saudável"

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

Fast-food saudável parece uma contradição de termos, mas é uma tendência que vem ganhando força nos shopping centers. Pesquisas apontam que, ao mesmo tempo em que buscam uma alimentação rápida, os frequentadores das praças de alimentação estão preocupados com o conteúdo nutricional de sua refeição e o efeito que ela terá em sua saúde.

De olho nesse mercado, novas redes estão surgindo, outras ampliaram suas lojas e algumas reformularam o cardápio, trocando, por exemplo, a batata frita pelo arroz integral. A consultora Maria Aparecida Toledo, que investigou os hábitos alimentares dos frequentadores de diversos shoppings de São Paulo, dá as características dessa "onda saudável".

- Há duas fortes tendências hoje na alimentação: a "saudabilidade", que é a valorização daquilo que promove saúde e bem-estar, e a sensorialidade e o prazer, ligados ao boom do mercado gourmet e dos grandes chefs.

Para Livia Barbosa, pesquisadora da Escola Superior de Propaganda e Marketing e coautora do levantamento, feito a pedido da Associação Brasileira de Franchising (ABF), essa preocupação com a alimentação saudável vem a reboque do aumento das doenças cardiovasculares e da obesidade.

- As pessoas estão vivendo mais e querem que seja com saúde.

Um dos motivos, revela o presidente da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping, Nabil Sahyoun, é o fato de a comida saudável ter se tornado prioridade no setor.

- Se um shopping center hoje tem uma praça de alimentação lotada e várias empresas querendo um espaço, a preferência vai para aquelas que oferecem opções saudáveis.

Apesar da rápida expansão, o grupo ainda não chega a 10% dos estabelecimentos, diz o diretor da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Percival Maricato.

Ele ressalta, porém, que hoje todos os restaurantes se preocupam em oferecer ao menos algumas opções saudáveis.

- A preocupação em dosar prazer e nutrientes antes era restrita aos portadores de doenças como diabete e a quem está acima do peso. Mas nos anos 1990 a preocupação começou a se espalhar.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também