Sonhar estimula a criatividade, aponta estudo

Sonhar estimula a criatividade, aponta estudo

Atualizado: Quinta-feira, 19 Novembro de 2009 as 12

Você precisa entregar aquele trabalho ou criar algo novo para surpreender seu chefe? Uma boa alternativa é colocar a cabeça no travesseiro e sonhar. Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, constatou que o sono, especialmente na fase em que a pessoa está sonhando, estimula a criatividade e a solução de problemas.

A pesquisa mostra que quando sonhamos ocorre a formação de redes associativas no cérebro, que promovem uma maior atividade neural do que em outras fases do sono.

Dessa forma, sonhar estimula diretamente o nosso processamento criativo. Para identificar se a solução criativa dos problemas estava ligada ao sonho, os participantes do estudo foram apresentados a múltiplos grupos de três palavras e tiveram que falar uma quarta palavra que poderia ser associada às demais. Foram feitos testes no período da manhã e no fim do dia, com os voluntários divididos em dois grupos: o primeiro, que dormiu à tarde e sonhou, e outro que dormiu, mas não sonhou.  

Você precisa entregar aquele trabalho ou criar algo novo para surpreender seu chefe? Uma boa alternativa é colocar a cabeça no travesseiro e sonhar. Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, constatou que o sono, especialmente na fase em que a pessoa está sonhando, estimula a criatividade e a solução de problemas.

A pesquisa mostra que quando sonhamos ocorre a formação de redes associativas no cérebro, que promovem uma maior atividade neural do que em outras fases do sono.

Dessa forma, sonhar estimula diretamente o nosso processamento criativo. Para identificar se a solução criativa dos problemas estava ligada ao sonho, os participantes do estudo foram apresentados a múltiplos grupos de três palavras e tiveram que falar uma quarta palavra que poderia ser associada às demais. Foram feitos testes no período da manhã e no fim do dia, com os voluntários divididos em dois grupos: o primeiro, que dormiu à tarde e sonhou, e outro que dormiu, mas não sonhou.  

veja também