Suplemento vitamínico-mineral é vital para saúde da mãe e do bebê

Suplemento vitamínico-mineral é vital para saúde da mãe e do bebê

Atualizado: Sexta-feira, 30 Setembro de 2011 as 12:59

Durante a gravidez, o corpo da mulher passa por diversas alterações fisiológicas e tem um aumento na demanda de nutrientes de 20% a 30%, que ajudarão no crescimento do feto e na produção do leite.

O problema é que, nesse período, normalmente esses nutrientes não são fornecidos somente pela dieta e, se nenhuma atitude preventiva for adotada, estudos indicam que aproximadamente 75% das gestantes poderão sofrer déficit de pelo menos uma vitamina. O estado nutricional das mulheres é um dos fatores mais importantes para uma gestação saudável e, consequentemente, para o bom desenvolvimento fetal.

A deficiência de vitaminas e minerais no período pré-natal pode causar uma série de problemas graves. Nas mães pode provocar anemia, hipertensão, aumento de mobimortalidade e complicações no trabalho de parto. Já nos bebês pode causar retardo do crescimento intrauterino, malformações congênitas, desenvolvimento anormal de órgãos e redução de imunocompetência (capacidade de produzir anticorpos).

Um dos aliados das mamães para suprir as necessidades nutricionais e evitar complicações é o suplemento vitamínico-mineral conhecido comercialmente como Damater, indicado para os períodos de pré-concepção, gestação e amamentação. Sua forma de apresentação, uma minicápsula gelatinosa, a menor disponível no mercado, é bem absorvida pelo organismo e facilita a adesão ao tratamento, já que as gestantes frequentemente mencionam a dificuldade de deglutir os comprimidos, promovendo também maior eficácia.

O suplemento não possui sabor e tem um aroma suave, fator importante para as grávidas, uma vez que até 85% são acometidas por náuseas e vômitos no primeiro trimestre da gravidez, o que também pode interferir na absorção dos nutrientes.

Baseada nas necessidades das consumidoras brasileiras, a fórmula de Damater possui componentes indicados por especialistas para proporcionar um estado nutricional saudável e adequado: betacaroteno (como fonte de vitamina A), vitaminas do complexo B (B1, B2, B6, B12), C, D, E, ácido fólico, além dos minerais cálcio, ferro e zinco.

Diversos estudos comprovam os benefícios do ácido fólico, principalmente na prevenção de defeitos do tubo neural (DTN), que ocorrem quando o tubo não se fecha adequadamente para formar a medula espinhal e o cérebro do bebê. No Brasil, a incidência dessa malformação é de 1,6 por 1.000 gestações. Os DTNs podem resultar em anencefalia (ausência do cérebro) e espinha bífida (aberta), que pode causar paralisia da parte inferior do corpo e perda do controle das funções intestinais, entre outros defeitos. Estudos demonstram que 50% ou mais dos DTNs poderiam ter sido evitados se as mulheres grávidas tivessem recebido, além do ácido fólico usual da dieta, suplementos contendo o nutriente.

O polivitamínico é o primeiro e único disponível no mercado nacional que tem em sua formulação 100% de vitamina A na forma de betacaroteno, considerado pela Sociedade de Teratologia como a primeira opção para a suplementação desse tipo de vitamina na gestação. Além de exercer papel importante na manutenção da função visual, no metabolismo, no crescimento e no desenvolvimento fetal, a vitamina A pode reduzir a taxa de mortalidade materna de 40% a 49%.

O ferro também é um mineral extremamente importante. Sua ausência pode acarretar anemia, afetando até 50% das gestantes brasileiras. Essa doença está associada a maiores taxas de parto prematuro, menor peso ao nascimento, aumento da mortalidade materna e neonatal, e problemas de desenvolvimento cognitivo. Para se ter uma ideia, uma dieta normal fornece apenas 15 mg de ferro elementar por dia, um índice muito inferior ao recomendado para uma gestação, que é de 27 mg.

Mesmo em países desenvolvidos, as estatísticas mostram que cerca de 40% das gestantes apresentam baixas reservas de ferro. Por isso o suplemento oferece em sua composição 30 mg/dia de fumarato ferroso, um tipo de sal de ferro que previne a anemia e apresenta melhor tolerabilidade em comparação a outras formas de ferro, como, por exemplo, o sulfato ferroso. O mineral é importante também depois da gravidez, pois a perda sanguínea decorrente do parto pode causar anemia, por isso a suplementação de ferro deve ser mantida durante o período de lactação.

Antes e depois

 A suplementação vitamínico-mineral é também recomendada no período da pré-concepção, pois um estado nutricional adequado nessa fase, um pouco antes da formação do embrião, pode prevenir defeitos congênitos no bebê. O período que abrange  da 3ª à 8ª semana de gestação é o mais suscetível à ocorrência de malformações. Cerca de 40% das mulheres engravidam sem taxas adequadas de ferritina, e muitas delas não sabem disso no início da gestação.

Já na fase da amamentação, estudos mostram que mulheres lactantes que apresentam reservas adequadas de vitaminas e nutrientes mantêm a qualidade e a quantidade do leite e podem proteger mais seus bebês de carências nutricionais.

Sobre a MSD

A MSD é uma nova empresa farmacêutica global, fruto da fusão, em 2009, entre duas empresas tradicionais na área de saúde: a Merck Sharp & Dome e a Schering-Plough. A MSD é líder global na área de cuidados com a saúde e conta com uma linha diversificada de medicamentos, vacinas e produtos para a saúde humana e a animal.

Esse portfólio inclui atualmente mais de 15 produtos em fase avançada de pesquisa, em áreas terapêuticas fundamentais, como cardiologia, diabetes, neurologia, infectologia, doenças respiratórias e distúrbios neurológicos. Além disso, é uma empresa comprometida em ampliar o acesso aos seus medicamentos para o maior número de pacientes possível, por meio de programas abrangentes de educação em saúde dirigidos à população e doação de seus medicamentos às pessoas que deles necessitam.

Conhecida globalmente como MSD (somente nos EUA e Canadá a empresa é denominada Merck), conta atualmente com cerca de 106 mil funcionários e opera em mais de 140 países. No Brasil, a empresa conta com seis unidades fabris, nos estados de São Paulo e Ceará, e mais de 2.000 funcionários.

veja também