Tai chi chuan vira estrela de novas pesquisas científicas

Tai chi chuan vira estrela de novas pesquisas científicas

Atualizado: Quinta-feira, 2 Junho de 2011 as 10:58

Os pés ficam enraizados no solo e o topo da cabeça é puxado levemente por um fio imaginário para o alto. As costas se arredondam e os ombros se afundam.

Suavemente, as palmas das mãos sobem para os céus, descem para a terra e se unem sobre o umbigo, centro de equilíbrio do corpo.   Começa um treino de tai chi chuan. Os movimentos, que se multiplicam de forma fluida e em ritmo lento, são facilmente reconhecidos pelo público ocidental.

A fama conquistada pela prática não vem só do fascínio pelo "exótico" ou do prazer estético que sequências rítmicas, como as de danças, costumam causar. O tai chi chuan, arte marcial chinesa, tem sido muito estudado por seus efeitos na saúde.

As últimas pesquisas acabam de ser publicadas em importantes revistas médicas internacionais.

No jornal da Associação Médica Americana, há um estudo da Universidade Harvard mostrando que a prática melhora a qualidade de vida de pessoas com insuficiência cardíaca crônica.

No "British Medical Journal", uma revisão de estudos comprova a eficácia do tai chi para diminuir quedas e melhorar a saúde mental.

A médica geriatra Juliana Yumi, do Hospital das Clínicas de São Paulo, diz que isso acontece porque a prática é muito mais do que os simples exercícios.

"Envolve coordenação, respiração, meditação. E usa bastante a parte cognitiva. Você tem que estar consciente de sua postura, saber o nome dela, geralmente em chinês, o que significa criar uma imagem mental e reproduzi-la com seu corpo."

Acompanhar a cauda do pássaro, abrir as asas e abraçar a árvore são exemplos disso. Além da poesia, tem um lado de ciência, mesmo que não seja aquela mais facilmente compreendida pelo pensamento lógico.

"Os movimentos fazem a energia circular da mão para a cabeça, da cabeça para os pés, dos pés para o tronco. São os fluxos de energia entre os meridianos do corpo usados na acupuntura", diz Jerusha Chang, presidente da Associação Tai Chi Pai Lin.

O equilíbrio é alcançado pela alternância de movimentos de recolhimento e de expansão, ataque e defesa em termos de artes marciais, yin e yang (princípios complementares ativos e passivos) no Taoísmo.

"A concentração e a coordenação da respiração com os movimentos acalmam mente e corpo", diz Ângela Soci, diretora da Sociedade Brasileira de Tai Chi Chuan.

NATAÇÃO NO AR

O fato de ser altamente relaxante não significa que é moleza em termos de trabalho físico. "A prática aumenta a força muscular e o condicionamento cardiovascular", afirma Yumi.

"O tai chi é como uma natação no ar. Parece que não tem nada, mas a pessoa está usando o próprio peso e a força da gravidade", diz Chang.    

veja também