Técnica de congelamento de óvulos aumenta as chances de gravidez tardia

Técnica de congelamento de óvulos aumenta as chances de gravidez tardia

Atualizado: Segunda-feira, 19 Julho de 2010 as 11:25

A evolução da técnica de congelamento de óvulos tem aumentado as chances de as mulheres engravidarem mais tarde. Há 30 anos, apenas 10% dos óvulos conseguiam sobreviviam ao congelamento. Essa taxa agora está em 90%. Além disso, a chance de a mulher engravidar é de 30% a 40%.

Uma pesquisa recente mostrou que as mulheres que se submetem a métodos de fertilização in vitro com o uso de óvulos congelados têm as mesmas chances de engravidar do que aquelas que usam essas células "frescas".

A técnica de congelamento de ovos geralmente é recomenda para mulheres com problemas de câncer que perdem a fertilidade muito cedo por causa da quimioterapia.

O processo consiste em estimular a produção de óvulos por meio de medicamentos. Dependendo do caso, são coletados até 15 óvulos, que são selecionados, tratados e congelados.

Quando forem usados, serão descongelados, fertilizados com os espermatozóides do pai e devolvidos ao útero da mulher para que o embrião se desenvolva.

Esse é o caso da advogada Juliana Fincati, de 32 anos. Quando tinha 26 anos, ela descobriu que tinha câncer de mama. Ao saber que não poderia mais engravidar, decidiu congelar os óvulos. Agora, livre do câncer, Juliana resolveu usar o material congelado para ter um filho.

O tratamento, no entanto, não é barato: pode custar de R$ 5 mil a R$ 30 mil.

A média é de 30 a 40% de sucesso.

Veja mais abaixo:

veja também