Ter dois filhos em pouco tempo aumenta risco de autismo

Ter dois filhos em pouco tempo aumenta risco de autismo

Atualizado: Terça-feira, 11 Janeiro de 2011 as 9:51

O pouco espaço de tempo entre uma gravidez e outra pode aumentar a chance do segundo filho nascer com autismo. É o que sugere um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Columbia, em Nova York, nos Estados Unidos, baseado em mais de meio milhão de crianças.

O autismo é um distúrbio neurológico que se caracteriza por desvios na comunicação e interação social. Aparece geralmente antes dos três anos de idade.

Crianças nascidas com menos de dois anos após seus irmãos mostraram-se consideravelmente mais propensos a ter um diagnóstico de autismo se comparados com aqueles que nasceram depois de pelo menos três anos.

Quanto mais cedo a criança foi concebida, maior a probabilidade dela receber o diagnóstico, segundo os pesquisadores. O efeito foi encontrado em filhos de pais de todas as idades, diminuindo a chance de ser considerado a idade dos pais como fator resultante.

Os pesquisadores levaram em conta outros fatores de risco para o autismo e ainda observaram o efeito do espaçamento entre os nascimentos. Para o autor do estudo, Peter Bearman, da Universidade de Columbia em Nova York, o resultado foi “chocante”.

- Não importa o que fizemos, se estamos olhando para a gravidade do autismo, olhando para a idade ou olhando para todas as diversas dimensões que poderíamos pensar, nós não poderíamos nos livrar desse achado.

Ainda assim, ele afirma que mais estudos são necessários para confirmar a ligação do nascimento de espaçamento.

As gravidezes pouco espaçadas estão aumentando nos Estados Unidos porque as mulheres estão adiando o parto e por causa da gravidez não planejada. Dados do governo mostram que este tipo de gravidez - cujos bebês nascem com menos de dois anos de diferença – aumentou de 11% de todos os nascimentos em 1995 para 18% em 2002.

As razões por trás do autismo e do espaçamento entre os nascimentos não são claras. Pode ser que os pais fiquem mais propensos a notar problemas de desenvolvimento quando os irmãos têm idades muito próximas, afirma Bearman.

Fatores biológicos também são considerados pelos pesquisadores. Isso porque, segundo o pesquisador, a gravidez esgota nutrientes da mãe como o folato, uma vitamina B encontrada em vegetais de folhas verdes, frutas cítricas e feijão.

Uma pesquisa anterior que também estuda os efeitos de nascimentos muito próximos associou o fato ao baixo peso dos bebês e a prematuridade, considerando como causa a falta de ácido fólico.

Os pesquisadores analisaram nascimentos entre 1992 a 2002 na Califórnia. A partir disso, cruzaram dados sobre os segundos filhos dos mesmos pais cujos irmãos mais velhos não tinham autismo.

No estudo, a prevalência do autismo foi inferior a 1%. De todas as 662.730 crianças nascidas na segunda gravidez, 3.137 tinham diagnóstico de autismo. Das 156.034 crianças nascidas menos de um ano após o nascimento de seus irmãos mais velhos, 1.188 tinham diagnóstico de autismo - uma taxa mais elevada, mas ainda inferior a 1%.

Crianças com síndrome de Asperger e transtornos invasivos do desenvolvimento, as formas mais leves de autismo, não foram incluídas na pesquisa. Estudos realizados pelo governo indicam cerca de uma a cada 100 crianças com distúrbios do autismo, incluindo as formas mais leves.

veja também