Terapeuta ortomolecular ensina a fugir dos charlatões

Terapeuta ortomolecular ensina a fugir dos charlatões

Atualizado: Quinta-feira, 25 Março de 2010 as 12

Muita gente ficou com o pé atrás em relação à medicina ortomolecular após a reportagem exibida pelo "Fantástico" (TV Globo), no último domingo, que mostrava supostos especialistas descumprindo regras e "inventando" diagnósticos.

A terapeuta ortomolecular Heloisa Bernardes, autora do livro "O que a Dieta Ortomolecular Pode Fazer por Você" (Academia), diz que "não devemos condenar a ortomolecular por causa dos maus profissionais" e que "há charlatões em todas as profissões".

E dá dicas para que o paciente perceba se está diante de alguém confiável: "Ele receita medicamentos? Este tipo de profissional não pode usar remédios, apenas suplementos de venda livre. Usa o exame do fio de cabelo? Este procedimento é proibido e custa uma fortuna. Desconfie de preços exorbitantes. A terapia ortomolecular é uma das mais em conta e não necessita de exames extras, além do normal, de sangue."

Em entrevista à Livraria da Folha, Heloisa também fala sobre o procedimento da consulta "normal". "Fazemos um questionário que verifica a predisposição mórbida. A partir dele, verificamos o grau de acidez e traçamos um perfil alimentar para equilibrar o ácido básico."

Mas no que consiste a terapia ortomolecular? O livro explica: "É um método de equilíbrio que preconiza os tratamentos individualizados levando em conta que cada pessoa tem um metabolismo diferente. O alimento que serve para um indivíduo não tem, necessariamente, o mesmo efeito em outro. (...) Ela é uma evolução dos primórdios da homeopatia, que, em vez de se preocupar com a doença, preconiza que o fundamental é tratar o doente e seus sintomas individuais. Sempre de maneira bem natural, com a utilização de substâncias que atuam nas esferas mais sutis do paciente: a sua energia vital."

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também