Terapia de reposição hormonal protege a saúde da mulher, diz estudo

Terapia de reposição hormonal protege a saúde da mulher

Atualizado: Quinta-feira, 11 Outubro de 2012 as 10:30

Um estudo publicado, nesta semana, no site do periódico British Medical Journal (BMJ), mostra uma pesquisa feita na Dinamarca com mulheres que passaram a fazer reposição hormonal após a menopausa. O estudo diz que as mulheres que aderem esse procedimento apresentam um risco significantemente menor de mortalidade, insuficiência cardíaca e de infarto. Esse efeito positivo ocorre sem que as chances de efeitos adversos como trombose venosa profunda, câncer e derrame cerebral, sejam aumentadas, revelou o estudo.
Tipos de terapia hormonal:
 
TERAPIA DE ESTROGÊNIO E PROGESTERONA

Antes da menopausa, os ovários da mulher produzem estrogênio e, quando ela ovula, progesterona. Após esse período, os níveis desses hormônios no organismo sofrem uma queda. A TEP fornece uma parte do estrogênio e da progesterona produzidos pelos ovários antes da menopausa. O estrogênio aplicado sozinho pode surtir efeitos adversos, como a hiperplasia do endométrio, que é o espessamento do revestimento uterino e pode resultar em câncer. No entanto, a progesterona elimina esse risco de câncer e, por isso, é recomendada a mulheres que não fizeram histerectomia (retirada do útero).

TERAPIA DE ESTROGÊNIO

Fornece uma parte do estrogênio produzido pelos ovários antes da menopausa e é recomendada a mulheres que fizeram histerectomia, já que, como elas não possuem mais o útero, não corre o risco de ter câncer no órgão. Assim, elas não precisam da progesterona. Os efeitos sobre os sintomas da menopausa são semelhantes aos da terapia de estrogênio e progesterona.

veja também