Terapia do riso pode ajudar a combater depressão e falta de apetite

Terapia do riso pode ajudar a combater depressão e falta de apetite

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

Desde a década de 80, pesquisadores da Universidade Loma Linda, nos Estados Unidos, têm pesquisado a resposta do organismo à "risada de alegria", e comprovam que o riso ajuda a otimizar muitas das funções de vários sistemas do corpo - incluindo o sistema endócrino, reduzindo os níveis de cortisol e epinefrina, o que leva à redução do estresse. Ainda em relação ao sistema endócrino, em estudo recente, os especialistas observaram que a risada pode ter um efeito também nos hormônios do apetite - após assistirem 20 minutos de comédia, os 14 voluntários apresentaram redução dos níveis de leptina (hormônio da saciedade) e aumento no de grelina (hormônio da fome).

"A risada é um processo altamente complexo. A risada de alegria ou de júbilo é considerada um estresse positivo, que envolve atividades cerebrais complicadas, levando a um efeito positivo sobre a saúde", destacaram os autores, esta semana, no Congresso Experimental Biology 2010. Para o pesquisador Lee S. Berk, as pesquisas indicam que a risada tem efeitos, ainda, na modulação do sistema imunológico, incluindo a produção de anticorpos e células protetoras, ajudando a prevenir e combater doenças. Além disso, a resposta do corpo seria similar ao do exercício físico moderado, melhorando o humor, reduzindo hormônios do estresse, reduzindo colesterol ruim (LDL) e pressão, e aumentando os níveis de bom colesterol (HDL).

De acordo com os autores, o estudo não permite concluir que o bom humor aumenta o apetite, mas mostra uma variedade de efeitos positivos similares àqueles das atividades físicas. "O valor da pesquisa é que ela pode oferecer para os profissionais de saúde novas perspectivas e entendimentos, e, assim, potenciais opções para pacientes que não podem usar as atividades físicas para normalizar ou aumentar seu apetite", concluíram.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também