Terçol ou calázio: o que é isto nos seus olhos?

Terçol ou calázio: o que é isto nos seus olhos?

Atualizado: Quarta-feira, 30 Janeiro de 2008 as 12

A pessoa acorda e percebe que está com o olho inchado e que há uma feridinha na pálpebra que dificulta um pouco os movimentos. Logo, descobre que está com um terçol, uma inflamação causada pela penetração de bactéria naquele local, cujos principais sintomas são dor, vermelhidão e calor. "Quase todas as lesões da pálpebra são consideradas terçóis, embora existam duas patologias diferentes responsáveis por seu aparecimento: uma com infecção, o terçol, e a outra sem infecção, o calázio", esclarece a oftalmologista Maria José Carrari, médica do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

O terçol se instala na borda da pálpebra, perto dos cílios. Por causa da localização das glândulas, os sinais da inflamação são mais acentuados. "Embora haja mais vermelhidão, mais dor e mais ardência, ele geralmente desaparece espontaneamente. O calázio, por sua vez, atinge uma glândula mais profunda e, mesmo depois de ter sido controlada a inflamação, fica um granuloma que pode aumentar ou diminuir sem sinais inflamatórios", explica a oftalmologista.

A incidência de calázios depende muito do tipo de pele, porque a glândula onde eles se formam produz uma substância que vai misturar-se com a lágrima. Pacientes com acne rosácea ou com muita oleosidade na pele têm mais tendência à formação de calázios porque a glândula se enche e um bloqueio em sua saída pode impedir que ela extravase.

Nas pessoas idosas, esse quadro pode tornar-se crônico, o que obriga o oftalmologista a curetar a glândula. "Faz-se uma incisão do lado da conjuntiva e cureta-se o núcleo da glândula que deixa de existir. É importante observar, sobretudo nos idosos, que o calázio pode manifestar-se em outra das 23 a 25 glândulas de Meibômio existentes", explica Maria Carrari. A repetição desse episódio pode ser um sinal de alerta para a possibilidade de uma neoplasia ter se instalado.

Após o diagnóstico do oftalmologista, o tratamento do terçol é feito, na fase aguda, com aplicação de calor úmido, colírios ou pomadas com antibióticos no local.

No calázio, o tratamento é praticamente o mesmo, só que não se usam medicamentos com corticóides, nem antibióticos. "Compressas costumam ser suficientes, mas se o quadro tornar-se muito repetitivo, é importante encaminhar o paciente para avaliação refracional, isto é, para verificar se não sofre de astigmatismo, miopia", diz Virgilio Centurion, diretor do IMO. Além dos cuidados já mencionados indicam-se cuidados de higiene da pele com xampus de pH neutro que funcionam como detergente.

FONTE: COMUNIQUE-SE

Postado por Nany de Castro

veja também