Teste em laboratório questiona segurança de esmaltes no Brasil

Teste em laboratório questiona segurança de esmaltes no Brasil

Atualizado: Sexta-feira, 29 Abril de 2011 as 11:16

Análise da ProTeste, órgão de defesa do consumidor, encontrou substâncias alergênicas na fórmula de esmaltes brasileiros.

Essas substâncias não têm uso proibido em cosméticos no Brasil, de acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Mas, na Europa, esses compostos são banidos ou obedecem a um limite de concentração. Alguns já foram ligados ao desenvolvimento de câncer em animais. Nos Estados Unidos, as substâncias são usadas em cosméticos.

No teste, foram analisados 12 esmaltes de três marcas: Colorama, Risqué e Impala.

As fabricantes dizem que os produtos são seguros e seguem a legislação brasileira.

De acordo com a ProTeste, os únicos esmaltes nacionais que seriam considerados seguros na Europa são os da Colorama e os hipoalergênicos da Risqué. Todos os da Impala foram reprovados.

Os compostos encontrados --dibutilftalato, nitrotolueno, tolueno e furfural-- são solventes e substâncias usadas em pigmentos e que conservam e dão brilho ao esmalte.

A análise foi feita por um laboratório francês, cujo nome a ProTeste não divulga, por motivos contratuais.    

veja também