Timidez infantil: Você pode ajudar seu filho a superar esse problema

Timidez infantil: Você pode ajudar seu filho a superar esse problema

Atualizado: Quinta-feira, 23 Julho de 2009 as 12

Seu filho evita participar de brincadeiras, não se integra com um grupo da sua idade na escola, é retraído e prefere ficar quieto e sozinho. Fique atento com alguns sinais porque eles podem indicar inibição e você pode ajudar seu filho a superá-la.

Há diversos motivos que levam uma criança a ser tímida, que variam de acordo com a realidade dela. Segundo a psicopedagoda Márcia Miranda, dentro da diversidade há aquelas que são, durante alguns anos, filho único e foi privada de algum modo em viver experiências e conviver com outras crianças, tendo a sua convivência mais acentuada com adultos.

"Há também crianças com pais retraídos e com pouca convivência grupal, sendo essa criança o primeiro filho, recebeu carga grande de ansiedade e insegurança mesmo antes de nascer; ambiente com clima afetivo e emocional inibidor também contribuem. Cientistas estudam e alguns especialistas acreditam na possibilidade de a genética e o meio ambiente também serem determinantes da timidez", afirma.

A psicopedagoga explica que os pais devem observar os comportamentos de isolamento, normalmente começa em casa e num segundo momento a família percebe isolamentos em festas infantis, mesmo com situações de seu interesse.

"O ideal seria a família estimular nessas duas situações ou em outras que venham surgir. O mais importante é chamar essa criança para o grupo social de forma carinhosa e sutil, sem usar armas de autoritarismo. Trazer para o grupo através de algo que lhe cause prazer, mesmo que seja para observar e o elogiando a todo momento. O trabalho com auto-estima é fundamental", ressalta.

A importância da família e do esporte

Os pais (a família de uma forma geral) têm papel fundamental na educação dos filhos e é essencial no desenvolvimento destes. Quando uma criança é inibida, é necessário o apoio familiar para a superação.

"Buscar informação de profissionais da escola e investigar como a criança se comporta nesse espaço (em alguns casos a timidez é situacional, aparece em situações específicas) e assim buscar orientação com equipe pedagógica e psicológica, para identificar a melhor forma de trabalhar com essa criança ou até mesmo buscar auxílio com o pediatra, tentando não gerar clima de ansiedade e sim de investigação, a fim de ajudar a todos, é uma forma de conhecer o seu filho e ajudá-lo", afirma Márcia Miranda.

Encorajar o tímido com elogios e incentivo é muito importante para ele aumentar a sua auto-estima e assim poder se superar.

"Devemos lembrar que a timidez leva a pessoa a um sofrimento e socorrê-la de forma carinhosa é um dos caminhos. A timidez leva o indivíduo a um nível de exigência muito grande em satisfazer as expectativas que ele acha que os outros esperam dele. Portanto, ajude-o nesse momento difícil e não deixe que esse bloqueio se torne crônico", alerta.

A prática de esporte e de atividades teatrais também podem ajudar desde que isso não seja feito de forma forçada. Os pais devem conversar com o filho para estimulá-lo e não obrigá-lo.

"Torna-se fundamental observar o tipo de atividade a oferecer. Não seria viável jogar uma criança retraída a fazer teatro, como se essa atividade fosse tirar de imediato a sua timidez, a não ser que essa atividade seja um grande desejo seu. Deve-se ter muito cuidado para não exagerar e ser rígido com a criança, ou tentar impor atividades que não causam prazer. Outro fator importante é perceber se essas atividades não são apenas desejos de seus pais ou até mesmo modismos", alerta.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também