Tira suas duvídas sobre o café, segundo os especialistas

Conheça os benefícios do café para a saúde

Atualizado: Terça-feira, 19 Fevereiro de 2013 as 11:57

 

Pedir uma xícara de café logo após o almoço ou jantar, já faz parte do dia a dia dos fãs da bebida mais consumida pelos brasileiros. Segundo a pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE, o café desbanca a dupla arroz e feijão.
 
Muito tem dúvida sobre a bebida, sobre a influência do café no sono entre outras interferências que a cafeína tem para o surgimento de doenças. 
"Existem muitas pesquisas sobre o assunto e algumas trazem resultados conflitantes", afirma a endocrinologista Claudia Chang, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). 
 
Há um consenso quanto a quantidade máxima recomendada por dia: 300 a 400mg de cafeína, equivalentes a três ou quatro xícaras médias de café coado, ou a metade disso na versão expressa, que é mais concentrada.
Mas o café traz benefícios, quando ingerido corretamente. 
 
Conheça os tipos de dúvidas esclarecidas, sobre o delicioso café e a saúde de quem não abre mão deste prazer. 
 
O café pode proteger contra o câncer? 
As pesquisas divergem sobre o assunto. Mas há estudiosos já totalmente convencidos de que o café é capaz de proteger contra câncer de fígado, rim, colo-retal e câncer de mama no período da pré-menopausa. "O café é rico em antioxidantes, substâncias que promovem a renovação celular e ajudam o organismo a combater doenças, incluindo o câncer", afirma a endocrinologista Claudia Chang. 
 
Cafeína acelera o ganho de massa muscular? 
A cafeína acelera a perda de gordura, e não o ganho de massa muscular. Isso acontece porque o café é uma bebida termogênica, ou seja, tem capacidade de aumentar o metabolismo basal e obrigar o corpo a gastar mais energia. 
 
A cafeína diminui a fadiga e melhora o rendimento do atleta. "Graças ao aumento de disposição, o aluno treina mais pesado e ganha mais massa muscular", explica O nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia.  
 
O café ajuda a tratar doenças do fígado? 
O consumo acima de três copos diários de cafeína diminuiria a progressão da fibrose do fígado, potencializando o efeito dos medicamentos usados para restaurar o funcionamento da glândula, segundo pesquisa publicada na Revista Cientifica de Hepatologia, do Reino Unido. A quantidade acima do recomendado, entretanto, pode trazer outros riscos, como: 
 
- Elevação da pressão arterial (pessoas hipertensas devem evitar consumir mais de 500mg/ dia de cafeína);
- Arritmia cardíaca: a cafeína aumenta a freqüência cardíaca; 
- Piora de quadros gástricos, como refluxo e gastrite, porque a cafeína irrita o sistema digestivo, principalemente quando o consumo é em jejum; 
- Dificuldade para absorção do cálcio, pois a cafeína reduz a absorção intestinal desse mineral , contribuindo para o aparecimento da osteoporose.
 
Notícias comprovadamente positivas: uma xícara de café por dia contribui para proteger o fígado contra cirrose ao reduzir os níveis de enzima hepática (relacionada ao surgimento da cirrose alcoólica). 
 
O café pode ajudar a prevenir doença de Parkinson? 
O consumo médio de três xicaras de café por dia diminui a incidência de Doença de Parkinson. "Isso ocorreria porque a bebida tem substâncias neuroprotetoras, que retardam a degeneração cerebral causadora da doença", explica a endocrinologista Claudia Chang.
 
O café interfere nos níveis de colesterol? 
Os especialistas orientam evitar o consumo do expresso, que possui cafestol, capaz de elevar os níveis de colesterol - essa substância sequestra os receptores do intestino responsáveis por manter essas taxas estáveis. Quando o café é coado, essas substâncias ficam retidas no filtro de papel e o efeito é cortado.
 
Crianças podem tomar café? E gestantes?
As crianças podem tomar café, desde que não ultrapassem 45mg/dia (cerca de meia xícara). O sistema neurológico infantil é mais sensível e o excesso de cafeína pode prejudicá-lo. "Mas, mantido este cuidado com a quantidade, o café pode aumentar a concentração e a disposição mental, ajudando crianças com déficit de atenção", afirma o nutrólogo.
o limite seguro de 300mg/dia, isso por que o consumo excessivo de café pode levar à perda de peso da gestante e do feto.  
 
Café realmente tira nosso sono?
Sim. Isso acontece porque o consumo de cafeína bloqueia a ação de um componente químico do cérebro, que determina a necessidade de sono e desperta a vontade de dormir. "Os efeitos da cafeína persistem por quatro a seis horas após o consumo. É preciso ter isso em vista para que uma xícara de café não se transforme em gatilho para a insônia", finaliza a endocrinologista. 
 
 
Com informações de: UOL

veja também