Tratamento feito com brinquedos pode previnir delinquência juvenil

Tratamento feito com brinquedos pode previnir delinquência juvenil

Atualizado: Quarta-feira, 3 Fevereiro de 2010 as 12

No title É nos dois primeiros anos de vida que se forma a base emocional do ser humano. Por isso, relações conflituosas com pai e mãe nessa idade geram reflexos negativos por toda a vida. Estes traumas levados adiante, podem criar futuros delinquentes juvenis.

Essa é a conclusão do trabalho da pedagoga Andréia Wiezzel, professora da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp (Universidade Estadual Paulista), em Presidente Prudente, que optou em aplicar um tratamento lúdico em crianças de comportamento agressivo ou muito tímido da para entender o fator destes problemas.

O trabalho é realizado na Escola Municipal de Educação Infantil Aparecida Alves, no bairro Vila Formosa, em Presidente Prudente, com 17 crianças de 3 a 6 anos.

Ao usarem brinquedos, elas expuseram seus traumas escondidos no inconsciente.

- Quando esses comportamentos não são tratados logo cedo, acabam se agravando, podendo levar a episódios de violência física e verbal e até mesmo de abandono da escola, afirma Andréia.

Abandono

Um garotinho de quatro anos, por exemplo, brincava de atirar um carrinho de uma certa altura para que o objeto se espatifasse no chão. Dentro do carro o garoto colocava uma figura feminina e outra masculina e ria muito quando o brinquedo caía.

Os terapeutas constataram que a criança estava projetando a frustração de se sentir abandonado, já que ficava na escola das 7h às 19h, e os pais ainda o deixavam na casa da avó nos fins de semana.

O trabalho conta também com a participação de uma psicóloga, uma psicopedagoga, além da equipe do colégio e de alunos de graduação em Pedagogia. Uma fonoaudióloga também ajuda a equipe, identificando problemas da fala causados por razões emocionais.

A pedagoga observa que, mesmo quando os pais reconhecem os problemas emocionais do filho, têm dificuldade de ouvir dos profissionais os motivos que levam a esse comportamento.

Para ela, as relações que os cuidadores estabelecem entre si e com a criança precisam ser bem definidas, ou causarão confusão, medo e sentimento de perda.

Este ano, as sessões passarão a atender 24 alunos da escola, número que pode crescer até 2011. A Secretaria de Educação da cidade submeteu à Câmara de Vereadores um projeto para levar o atendimento a todas as escolas do município.

veja também