Treino de futebol intenso afeta crescimento de jovens, diz médico

Treino de futebol intenso afeta crescimento de jovens, diz médico

Atualizado: Quinta-feira, 17 Junho de 2010 as 2:19

Treinos intensos de futebol podem afetar o desenvolvimento de crianças e jovens na puberdade. O alerta é do médico Maurício de Souza Lima, hebiatra (especialista em adolescentes) do Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo). A preocupação é motivada pelo aumento da procura por escolinhas de futebol, frequente em época de Copa do Mundo.

O médico explica que é comum jovens iniciarem treino pesado durante o chamado "estirão" da puberdade, quando ossos, músculos e tendões se desenvolvem. O período é caracterizado por dois momentos: o de aceleração e o de desaceleração. A sobrecarga física reduz a produção do hormônio IGF1, associado ao crescimento, ou pode provocar microtraumatismos nas placas presentes no interior dos ossos. Por isso, o ideal é que os exercícios mais intensos sejam realizados na fase de desaceleração.

"Antigamente, o futebol era praticado de forma mais natural, na rua ou em campinhos. Com a redução de áreas livres, passamos a ter dois extremos: o jovem sedentário e aquele que treina em escolas de futebol", comenta o médico. O problema é que, quando veem potencial nos garotos, muitos centros intensificam os treinos.

O problema, de acordo com o hebiatra, não está no futebol recreativo, praticado três vezes por semana, por uma hora. "O risco está nos treinos de três horas, cinco vezes por semana", esclarece. A carga parece exagerada, mas o médico explica que tem atendido jovens com essa agenda com uma frequência cada vez maior.

Além do crescimento afetado, os jovens que exageram no futebol estão vulneráveis a lesões nos tendões e nos músculos, que muitas vezes requerem afastamento das atividades e fisioterapia. Exatamente como acontece com os jogadores profissionais.

Para evitar problemas, o ideal é que todo jovem passe por avaliação médica antes de iniciar qualquer atividade física, para ser orientado sobre o ritmo e a carga de treino adequados. Os pais também devem ficar atentos à alimentação de crianças e adolescentes que praticam esportes e para eventuais sinais de cansaço, que podem indicar que a intensidade do treino passou dos limites.

Por: Tatiana Pronin

veja também