Trombose na gravidez

Trombose na gravidez

Atualizado: Terça-feira, 30 Junho de 2009 as 12

A gravidez é um momento de muita alegria para as futuras mamães. Mas os cuidados nesse período devem ser redobrados, tanto com a alimentação quanto com a saúde. Bebês saudáveis provêm de mães que seguiram à risca às ordens médicas e procuraram ter ao longo da gestação uma vida regrada. Mas algumas mulheres, mesmo seguindo todas as orientações, acabam sofrendo com algum probleminha. E a trombose é um deles.

Trata-se da coagulação do sangue dentro de um vaso sanguíneo, obstruindo o fluxo do sangue. "Esta pode se complicar com o deslocamento do trombo, dando origem a um quadro grave: a embolia pulmonar", alerta Márcia Maria Ribeiro Alves, angiologista do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE) e professora de Graduação e Pós-Graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Os fatores que predispõem ao aparecimento da trombose são vários, como explica a profissional. "Cirurgias, principalmente as ortopédicas e urológicas; a própria gravidez é um período de predisposição; viagens de longa duração com pouca mobilidade dos membros inferiores e certas doenças, por haver aumento de fatores da coagulação, são consideradas trombogênicas. Outras pessoas já nascem com alteração dos fatores de coagulação com predisposição a trombose".

Durante a gravidez, especialmente no último trimestre da gestação, o organismo se prepara para evitar a perda sanguínea durante o parto e aumenta os fatores da coagulação, tornando a trombose mais propensa. "Devemos ter alguns cuidados neste período como: não engordar muito, pois o aumento de peso dificulta o retorno venoso, favorecendo a estase venosa e aumentando o risco para a trombose. É importante também manter a atividade física. Os exercícios aquáticos como natação e hidroginástica são indicados para melhora do retorno venoso. Após o parto, a elevação dos membros inferiores e o caminhar precoce são uma conduta benéfica para prevenir trombose", alerta.

O tratamento se diferencia de acordo com o local acometido e a extensão. "De uma forma geral, o tratamento da trombose na sua forma aguda é realizado com uma substância, a heparina, e pode ser utilizada pela via endovenosa ou subcutânea. Associa-se a esta medicação um anticoagulante oral. O esquema de tratamento e a escolha da droga a ser utilizada dependem do período de gestação", ressalta.

Como o período de gestação é um momento delicado para o bebê, qualquer doença é um risco. A profissional esclarece que a maioria das tromboses desenvolve-se durante o segundo ou terceiro trimestre de gravidez e é atribuída a fatores mecânicos de compressão.

Outro risco é quando a trombose venosa se inicia no primeiro trimestre da gestação. Isso pode aumentar as chances de abortamento. "Próximo ao final da gestação também ocorre aumento dos fatores pró-coagulantes, aumentando o risco de trombose. Neste momento, com o bebê já formado, o risco é menor para ele", explica.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também