Uso inadequado da escova de dentes pode causar doenças graves

Uso inadequado da escova de dentes pode causar doenças graves

Atualizado: Quarta-feira, 8 Janeiro de 2014 as 8:20

Manter uma higienização correta e a escolha certa da escova de dentes, é uma alívio à saúde bucal. Escovar os dentes após as refeições – pelo menos três vezes ao dia -, antes de dormir e utilizar o fio dental ajudam a prevenir doenças nos dentes, língua e gengivas. Muitos esquecem de higienizar a escova, a responsável por garantir brilho e saúde aos dentes.

É comum deixá-la exposta na pia do banheiro ou em ambientes úmidos, sem qualquer proteção das cerdas. O problema é que, com esse costume, a pessoa pode levar à boca uma quantidade considerável de bactérias. Quando não está protegida adequadamente, as cerdas expostas acumulam microorganismos lançados no ar, sendo alguns provenientes do vaso sanitário.
 
Entre as doenças dentárias estão a periodontite, candidíase, gengivites, cáries e até diarreia. Aparentemente simples, pode agravar e causar doenças graves, como cardiopatias e pneumonias.
 
Cuidados necessários
 
É indicado o uso de protetores ou até mesmo o mantimento das escovas de dentes fora do banheiro. O cirurgião-dentista, Marcelo Pimenta, orienta como se deve guarda-las. “Elas devem ser colocadas em um recipiente fechado e a uma distância de pelo menos dois metros do vaso sanitário. É importante, também, deixar a tampa do vazo sanitário sempre abaixada na hora da descarga e quando não estiver em uso”.
 
escova de denteManter o recipiente fechada ajuda a resolver o futuro problema em partes. ambientes abafados e úmidos podem contribuir para a proliferação de bactérias ou até mesmo aquelas vindas da própria boca.
 
“Muitas bactérias permanecem vivas nas cerdas da escova por até 24 horas. Por isso, é importante eliminar o excesso de água após o uso, mas nunca utilizando toalhas para secá-la. Borrifar um antisséptico nas cerdas ajuda também. O mais indicado é a clorexidina 0,12%, encontrada em farmácias”, explica o dentista.
 
Deve ser levado em consideração o tempo de vida da escova. Ainda de acordo com o Marcelo Pimenta, a troca deve ser feita a cada quatro meses e o tipo de escova varia do gosto pessoal do usuário.
 
 
 
 
Com informações de: Viva Bem
 

veja também