Vacina evita sete mil mortes por ano, diz estudo

Vacina evita sete mil mortes por ano, diz estudo

Atualizado: Terça-feira, 27 Maio de 2008 as 12

Vacinar cada criança brasileira com menos de cinco anos contra as doenças pneumocócicas, que incluem a pneumonia e a meningite, pode prevenir 1,3 milhão de casos do problema e evitar mais de sete mil mortes por ano no país. Os resultados, que estão no estudo PAE Brasil (Pneumococo: avaliação econômica), acabam de ser divulgados durante encontro da Sociedade Européia para Doenças Infecciosas Pediátricas, na Áustria.

"O estudo mostrou que a introdução da vacina pneumocócica conjugada 7-valente no calendário oficial do Ministério da Saúde é custo-efetiva para o Brasil", avalia Eitan Berezin, presidente do Departamento de Infectologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, um dos pesquisadores envolvidos no estudo.

O Estudo PAE Brasil é o primeiro modelo farmacoeconômico que avaliou os custos para o sistema de saúde pública brasileiro das doenças pneumocócicas. O levantamento foi realizado por pesquisadores da Sociedade Brasileira de Pediatria, Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS).

Atualmente, as doenças pneumocócicas já matam mais que Aids, Tuberculose e Malária juntas. O estudo PAE Brasil demonstrou que apenas para o tratamento de cada caso de meningite pneumocócica no país, o governo gasta R$ 8 mil por episódio tratado da doença. "Isso sem falar no custo pessoal, ou seja, no fato de que essa pessoa terá, muitas vezes, de conviver com seqüelas graves", completa Berezin.

Hoje, a vacina pneumocócica conjugada 7-valente está disponível no sistema público de saúde gratuitamente para crianças com necessidades especiais, como bebês prematuros, asma grave e portadores de síndrome de Down, nos chamados Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE). São 39 centros espalhados pelo país.

Postado por: Claudia Moraes

veja também