Veja dez dicas para ter mais saúde em 2011

Veja dez dicas para ter mais saúde em 2011

Atualizado: Segunda-feira, 17 Janeiro de 2011 as 9:20

Todo começo de ano nós fazemos promessas para melhorar a vida. As mais comuns, de longe, são: comer melhor e praticar exercícios físicos. Aliar os dois hábitos, sem dúvida, é uma boa receita de saúde.

Mas juntá-los a outros modos igualmente saudáveis, como dormir melhor, evitar o estresse, parar de fumar e ter mais lazer, é a receita dada por especialistas para ter uma saúde “trincando” de boa em 2011.

Veja abaixo as dicas dadas por Cláudio Miguel Rufino, clínico-geral da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), José Marcos de Góis, cardiologista do Hospital Beneficência Portuguesa, e Roberto Correia, fisiologista do exercício da Unifesp.

Dicas para melhorar a saúde em 2011

Comer bem, fazer exercícios e espantar o estresse são fatores essenciais

Coma melhor

Escolher alimentos saudáveis durante as refeições ajuda não somente a emagrecer, mas a diminuir as taxas de colesterol, de triglicérides (gordura) e de açúcar no sangue, o que dá mais disposição, humor e uma aparência mais bonita. Um prato de arroz com feijão, carne magra (peixe ou frango) e salada de folhas, verduras e legumes é uma grande fonte de nutrientes (proteínas, carboidratos, sais minerais e lipídios). Ao evitar frituras e fast-food, você diminui o risco de acúmulo de gorduras em artérias e veias, impedindo risco de infarto e derrame. Evite abusar de alimentos diet (têm mais gordura) e “zero” (têm mais sódio). Beber bastante líquido garante pele mais hidratada e filtra impurezas do organismo.

Durma melhor

O corpo necessita, geralmente, de oito horas diárias de sono para recuperar energias perdidas ao longo do dia, podendo variar para mais ou menos. Quem não acorda com a pele lisinha, bom humor e barriga sequinha depois de oito horas bem dormidas? A falta de sono pode aumentar a produção de hormônios do estresse. Dormir pouco causa ainda mau humor e engorda. A própria obesidade pode ser uma inimiga da noite bem dormida, já que causa ronco e apneia (suspensão da respiração durante o sono).

Faça exercícios

Praticar uma atividade física regular ajuda a emagrecer, aumenta a força e o tônus muscular, melhora a capacidade respiratória e o condicionamento físico. O ideal é fazer de três a cinco vezes por semana, de 30 a 40 minutos. Para quem é sedentário, o primeiro passo é procurar um clínico geral, que pedirá exames de glicemia, colesterol, de pressão e frequência cardiorrespiratória. De acordo com os resultados, você saberá qual tipo de atividade física é a mais adequada para você. Isso vale também para quem pretende frequentar uma academia. Caminhadas de 30 minutos, de três a cinco vezes por semana, são indicadas para todas as idades, desde que não haja problemas de locomoção. Consequência: mais disposição e um corpo mais enxuto e mais resistente a infecções.

Não estresse

O estresse deve ser considerado um veneno para o corpo. Quando você vive estressado, aumenta a produção de catecolaminas e cortisol (substâncias que causam o estresse), que provocam depressão, aumento do colesterol, triglicérides e do açúcar no sangue. Isso acontece porque o organismo reage como se estivesse em perigo. O estresse inibe a serotonina - substância que nos dá a sensação de prazer e é liberada quando fazemos exercícios, nos divertimos e fazemos sexo. Muitas doenças são causadas pelo estresse – desde reações nervosas até derrame e infarto.

Beba menos

O abuso de álcool pode trazer graves consequências à saúde. Como praticamente todas as bebidas alcoólicas são muito calóricas, de cara você pode ganhar uns quilos a mais se as usar frequentemente. Conhecidas como “calorias vazias”, elas engordam sem trazer nenhum benefício nutricional. O abuso pode ainda levar ao alcoolismo ou causar cirrose hepática (destruição do fígado), ambas doenças levam à morte. Uma dose diária de álcool não causa grandes danos, desde que a pessoa esteja saudável. Diabéticos, hipertensos ou quem tem alta taxa de triglicérides devem evitar o álcool.

Pare de fumar

Deixar o vício garante benefícios à saúde no curto e longo prazo. No primeiro momento, o ex-fumante já consegue respirar melhor e fica com o paladar e olfato mais apurados. Em um ou dois anos, os riscos de ter derrame ou infarto diminuem bastante e em dez anos o pulmão melhora sua capacidade. Nunca é tarde para parar, pois o fumo contínuo e duradouro pode causar câncer de pulmão (95% dos casos são em fumantes), de garganta, língua e faringe, e, no médio prazo, pode causar o devastador enfisema pulmonar.

Trabalhe no que gosta

Ter bom relacionamento no trabalho, na família e estar satisfeito com aquilo que faz, segundo os médicos, gera saúde. Sentir-se realizado evita a depressão e a liberação dos hormônios do estresse (catecolaminas e corticoides), que aumentam a glicemia, as triglicérides e o colesterol, que engordam, além de causar um belo de um mau humor.

Tenha lazer

Aposte em mais momentos divertidos e de descanso. O lazer significa ter prazer e, como seres sociais que somos, podemos usar esses momentos para passear com amigos, dançar, paquerar, dar risada, namorar e fazer sexo. Com isso liberamos mais serotonina, o hormônio do prazer, responsável pelo sorrisinho no rosto.

Faça sexo

De modo geral a atividade sexual pode gerar saúde, mas como diz o provérbio “o que importa é a qualidade, não a quantidade”. O sexo não deve ser encarado como uma atividade física a ser praticada para melhorar a resistência física. O importante é mantê-lo como fonte de prazer, de acordo com o ritmo de cada um. Quem pratica atividades físicas, no entanto, pode melhorar a disposição sexual.

Use camisinha

Lembrar de colocar o preservativo durante as relações sexuais significa cuidar da saúde. Fazer sexo sem proteção abre caminho para doenças sexualmente transmissíveis como a Aids, HPV, sífilis, gonorreia, entre outras. O uso do preservativo impede a infecção e a gravidez indesejada.

veja também