Verão é ideal para prática de esportes aquáticos

Verão é ideal para prática de esportes aquáticos

Atualizado: Quarta-feira, 9 Fevereiro de 2011 as 8:42

Com a chegada do verão, as atividades físicas aquáticas costumam ganhar novos adeptos. Ao contrário do que muita gente pensa, as atividades aquáticas não são restritas às pessoas de idade ou com lesões. Na água, o esforço é maior, portanto, associar atividades aquáticas aos treinos de musculação traz resultados positivos para o corpo e a saúde do coração.

A natação é um dos esportes mais completos, porque auxilia na perda de peso, corrige a postura, melhora a capacidade respiratória, aumenta o condicionamento físico, entre outros benefícios. Mas quando falamos de esportes ou atividades aquáticas, existem diversas modalidades para quem pretende praticar exercícios físicos e se refrescar ao mesmo tempo.

A vantagem de praticar esportes na água é, acima de tudo, a redução de todo e qualquer tipo de impacto. A pressão da água durante a atividade física também exerce um papel importante na circulação e favorece a drenagem linfática – isso significa que atividades aquáticas podem melhorar a circulação sanguínea, além de prevenir e melhorar os inchaços e as celulites.

“Entre os benefícios para quem adere à prática esportiva na água estão o aumento da resistência física e cardiopulmonar, assim como uma eficiente melhora da coordenação motora. A natação mobiliza o organismo como um todo em um trabalho que envolve força, resistência muscular e estímulo cardiovascular aeróbico, além de ser uma atividade relativamente segura – já que o impacto é mínimo no ambiente aquático”, esclarece Nabil Ghorayeb, cardiologista e médico do esporte do Hospital do Coração de São Paulo (HCor).

De acordo com Ghorayeb, a realização de um check-up antes da realização de uma atividade física é de extrema importância para a saúde do atleta. “Quando realizamos o check-up, podemos identificar possíveis problemas cardíacos e realizar um tratamento adequado no esportista, antes mesmo de fazer uma atividade que não condiz com a sua saúde. Em alguns casos, o atleta não sabe que possui um problema cardíaco e, quando inicia o exercício, sente dificuldades – o que pode acarretar diversos riscos à saúde como infartos, arritmias, entre outros.”

Conheça algumas atividades físicas aquáticas

• Hidroginástica – Há muito tempo as atividades físicas realizadas em piscina são uma ótima maneira de entrar em forma. A hidroginástica, por exemplo, combina momentos de relaxamento com os de exercícios musculares, que resultam em ganho no condicionamento físico.

Considerada uma alternativa para um programa tradicional de exercícios com o benefício de diminuir o impacto e esforço nas articulações, ela melhora a circulação, a capacidade respiratória, flexibilidade, força e resistência muscular. Porém, é importante realizar antes e depois da hidroginástica exercícios com peso durante 20 minutos. Esse procedimento promoverá a fixação do cálcio nos ossos, além de prevenir e corrigir a osteoporose.

• Natação – É a atividade física aquática mais completa que existe. Trabalha todos os músculos de forma equilibrada e beneficia a capacidade respiratória, além de melhorar o condicionamento físico. É indicada para todas as idades, até mesmo para gestantes e bebês.

• Water Ioga – Essa modalidade, recente nas academias, é a ioga tradicional adaptada para o meio aquático. A resistência da água intensifica o exercício, propiciando uma queima maior de calorias.

• Polo Aquático – Esporte aquático semelhante ao handebol. Como a natação, desenvolve toda a musculatura do corpo, principalmente tronco e membros superiores. Trabalha também a coordenação e o reflexo.

• Nado sincronizado – Esta modalidade aquática auxilia na melhora da flexibilidade, agilidade e condicionamento físico. Trabalha a musculatura do corpo todo, principalmente das pernas.

• Watsu – Técnica de hidroterapia indicada para relaxamento por meio dos movimentos do Zen-Shiatsu. Deve ser praticado em piscina aquecida com temperatura de 35 º C, aproximadamente, para relaxar ainda mais.

Muitos exemplos demonstram o perigo que existe em exigir melhor desempenho do corpo sem antes avaliar de forma completa e científica os seus verdadeiros potenciais. Além de complicações imediatas e de alta gravidade, como arritmias, dificuldades respiratórias e até mesmo paradas cardíacas, podem ocorrer lesões osteoarticulares, que às vezes chegam a incapacitar os esportistas e atletas para o exercício da sua atividade. O oposto também gera problemas.

Os conhecimentos científicos modernos indicam que o sedentarismo é um dos mais importantes fatores de risco para o aparecimento de doenças degenerativas cardiovasculares e do metabolismo, como o diabete e a síndrome metabólica. A prática regular de atividades físicas contribui para a prevenção e manutenção da saúde.

veja também