Vírus artificial pode ser usado para criar vacinas com menos reações, diz cientista

Vírus artificial pode ser usado para criar vacinas com menos reações, diz cientista

Atualizado: Segunda-feira, 25 Outubro de 2010 as 9:24

A descoberta do vírus artificial poderá abrir caminho para vacinas mais inofensivas, que não precisarão utilizar partes de vírus vivos, reduzindo assim o perigo de reações adversas. A previsão é do cientista Eckard Wimmer, criador do vírus artificial, em palestra para pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, na última quinta-feira .

"Eu acredito que haverá uma revolução na criação de novas vacinas" afirmou Wimmer. "Também na terapia genética, os vírus poderão levar até as células determinadas proteínas que o paciente não consiga fabricar ou que sintetize de forma insuficiente" previu o cientista.

Por outro lado, Wimmer alerta que os avanços na tecnologia também podem possibilitar a criação de vírus modificados que poderão ser usados para a criação de armas biológicas por terroristas. "Um governo hostil, com dinheiro suficiente para comprar conhecimento, pode fazer isso [desenvolver arma biológicas]" admitiu ele. "É apenas uma questão de esperança, que isso não venha a acontecer" adicionou.

O cientista também comentou sobre os surtos de superbactérias que atingem os hospitais brasileiros. "Essas bactérias foram criadas por nós mesmos" ele acusa. "É nossa culpa que elas estejam se proliferando. Nós tomamos muitos antibióticos e isso criou resistência", Wimmer concluiu.

Eckard Wimmer nasceu na Alemanha, mas reside e trabalha nos Estados Unidos atualmente. Em 2002, ele anunciou o desenvolvimento do primeiro vírus artificial, por meio da manipulação do vírus da poliomielite.

veja também