Vitamina D não reduz riscos de doenças e fraturas

Vitamina D não reduz riscos de doenças e fraturas

Atualizado: Sexta-feira, 24 Janeiro de 2014 as 9

Desde de muito tempo fomos informados de que a vitamina D previne de doenças e fraturas. Parece que a informação já não é a mesma. Cientistas neo-zelandeses sugere que há pouca ou nenhuma razão para ingerir vitamina D como forma de reduzir o risco de doenças ou fraturas. A pesquisa foi publicada  na revista científica Lancet.
 
vitamina DPara chegar a essa conclusao, os cientistas analisaram 100 pacientes e descobriram que não houve diminuição significativa do risco em qualquer área do corpo humano com a ingestão da vitamina. Eles acrescentaram que mais pesquisas são necessárias para comprovar as descobertas.
 
Os pesquisadores também alertaram que grupos de risco, como bebês, mulheres grávidas e idosos, ainda são aconselhados a tomar o medicamento.
 
Os responsáveis pela pesquisa são da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, e já haviam  anteriormente realizado uma metanálise que mostrou que os suplementos de vitamina D não tiveram efeito na densidade mineral dos ossos.
 
Na ocasião, eles fizeram uma análise minuciosa de testes clínicos aleatórios de ingestão de vitamina D, com ou sem cálcio.
 
Até então eles descobriram que os suplementos de vitamina D não alteram significativamente o risco de enfarte ou outras doenças cardiovasculares, derrame cerebral, câncer e fraturas.
 
Segundo os cientistas, os pacientes utilizados na hospitalizados que ingeriram a substância apresentaram um risco de fratura dos quadris inferior a 15% - patamar considero baixo para justificar a ingestão da vitamina D.
 
Essa mesma pesquisa foi realizada com pacientes saudáveis. Quando eles tomaram cálcio, também não apresentaram nenhum fortalecimento dos ossos.
 
O estudo afirmou que "não há certeza se a vitamina D com ou sem cálcio reduzem o risco de morte".
 
"De acordo com as nossas descobertas, há pouca ou nenhuma razão para prescrever suplementos de vitamina D para prevenir enfarte do miocárdio ou doença de coração isquêmica, AVC ou doenças vasculares cerebrais, câncer, ou fraturas, e tampouco reduzem o risco de morte em uma comunidade de indivíduos aleatória".
 
As vitaminas D são comuns encontradas nos óleos de fígado de peixes e alimentos derivados do leite, como manteiga e queijos gordurosos, além da exposição ao sol.
 
 
Com informações de: UOL
 

veja também