10 países perigosos, mas que valem a pena

Veja 10 países considerados perigosos que valem a visita

Atualizado: Sexta-feira, 17 Agosto de 2012 as 9:50

Muitas vezes, temos ideias ou conceitos errados sobre alguns países que podem ser ótimos destinos de férias, protegidos do turismo de massa. Para se desfazer desses pré-conceitos, veja 10 países considerados perigosos, mas que todo mundo deveria conhecer, segundo o site Ask Men.

Myanmar: também conhecido como Birmânia, o Myanmar foi, por muito tempo, comandado por uma junta militar repressora e violenta. A militante e vencedora do Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, foi presa e chamou os turistas para boicotar o país. Em abril do ano passado, no entanto, as coisas começaram a mudar: com eleições transparentes, Suu Kyi foi eleita para o parlamento e chamou um “turismo responsável”. É uma boa oportunidade de conhecer este belo país asiático com mais de 4 mil templos budistas, vilarejos flutuantes no lago Inle e outras belezas naturais e culturais, numa mistura de culturas chinesa, indiana e asiática do sudeste.

Bósnia e Herzegovina: a primeira imagem que costuma vir à cabeça quando pensamos na Bósnia e Herzegovina, é a da guerra que assolou o país  na primeira metade da década de 1990. Hoje, a reputação formada por essas notícias de 20 anos atrás esconde um ótimo destino como Sarajevo - a capital vibrante, muitas belezas naturais, como o Parque de Kozara, e uma gastronomia deliciosa, comparável à cozinha italiana.

Armênia: vizinha do Irã e da Geórgia, a Armênia parece inóspita e desconhecida. Mas por trás da falta de informação, existe um país com uma rica história e com paisagens variadas e fascinantes. Primeiro país cristão do mundo, a Armênia tem dezenas de antigos monastérios nas montanhas, como o de Tatev. O monte Aragats, vulcão de 4.100 metros, e o lago Sevan, com suas águas azuis, encontram-se entre as belezas naturais do país.

Uganda: do mítico ditador Idi Amin ao vilão moderno denunciado pelas redes sociais, Joseph Kony, Uganda teve sua boa dose de violência nos últimos 50 anos. Mas esta “pérola da África”, como foi apelidada por Winston Churchill, oferece pouco perigo para os estrangeiros, que viajam ao local para conhecer a rica vida selvagem de Uganda. A principal atração fica por conta do parque de Bwindi e sua população de mais de 300 gorilas da montanha.

Colômbia: a Colômbia quer deixar para trás sua fama de país violento, marcado por sequestros, assassinatos e terrorismo. Prova disto é o slogan criado para promover o turismo: “Colômbia, o único risco é que você queira ficar”. O fato é que o país tem uma grande quantidade de belezas naturais, como as praias da ilha de San Andrés, cidades vibrantes, como a capital Bogotá e a colonial Cartagena, entre muitas outras atrações. A beleza e alegria da população contribuem para fazer da Colômbia um destino acolhedor e agradável.

Indonésia: apesar de aparecer nos jornais por catástrofes naturais, ataques terroristas ou acidentes aéreos, a Indonésia é um destino muito apreciado pelos turistas em busca de paraísos naturais, como Bali, Java e Lombok e algumas das mais de 18 mil ilhas que formam o maior arquipélago do planeta. A riqueza da cultura, a beleza das paisagens e a simpatia dos habitantes criam um ambiente de sonhos, num país tranqüilo e com riscos que são, em realidade, muito raros.

Irã: o Irã pode parecer um país ameaçador, com um presidente provocador e catástrofes naturais como o terremoto que deixou centenas de mortos recentemente. Mas o país do Oriente Médio tem uma história milenar refletida em cidades como Ispaã e seus monumentos maravilhosos protegidos como Patrimônio Mundial da Unesco.  A capital, Teerã, tem numerosos museus, como o de Arte Contemporânea, com obras de Warhol, Picasso e Pollack, além de numerosos mercados de rua muito charmosos. Além de história e cultura, o país conta com algumas das melhores pistas de esqui do Oriente Médio, no resort de Dizin.

Paquistão: muitas vezes colocado no grupo de países em guerra, como Iraque e Afeganistão, o Paquistão é um tesouro escondido e protegido do grande turismo. Apesar de ter problemas e algumas tensões, como o ocorre  na pequena região da Caxemira, o país tem algumas das montanhas mais altas do planeta. A  K2 e seus mais de 8.600 metros, além de outros picos do Himalaia, servem como pano-de-fundo com paisagens estonteantes. Os vales do Paquistão são um sonho para fazer trilhas e escalada e são muito menos freqüentados do que o Himalaia da Índia e do Nepal.

Cuba: Cuba é um país com muitos mitos, tanto positivos quanto negativos, e costuma polarizar as opiniões entre os que apoiam e os que se opõem ao regime comunista instaurado por Fidel Castro em 1959. Mas deixando a política de lado, a ilha caribenha é um paraíso para os turistas, com belas praias, resorts confortáveis e muita história presentes nos prédios da capital Havana e nos numerosos carros retrô da década de 1950.

Etiópia: a Etiópia é vista muitas vezes como um país onde o que predomina é fome e pobreza, longe dos interesses da maioria dos turistas. Mas quem pesquisa melhor descobre que os dias de guerra civil e crise humanitária ficaram para trás e que o país, que é um dos mais antigos do mundo, tem sítios históricos imperdíveis, como as igrejas de Lalibela, e 13 parques nacionais. A capital, Addis Ababa, é uma das cidades mais vibrantes e fascinantes da África e a gastronomia etíope é deliciosa e mundialmente admirada.

veja também