Acre é alternativa para novas experiências na floresta brasileira

Acre é alternativa para novas experiências na floresta brasileira

Atualizado: Terça-feira, 8 Fevereiro de 2011 as 1:51

Apesar de não ser um destino tradicional, o Acre pode surpreender, não apenas pelas belezas naturais da maior biodiversidade da Terra, mergulhada nos encantos da Floresta Amazônica, mas pela sua capital, Rio Branco, ser bastante moderna e desenvolvida e guardar segredos que aguçam seus sentidos. Os cerca de 700 mil habitantes e mais de 15 mil índios, distribuídos em 32 reservas e 14 diferentes nações, mantêm vivas as origens de um estado marcado pelas lutas e conquistas do povo brasileiro.

Por esses lados do Norte, Chico Mendes é um nome que você vai ouvir com frequência. Esse personagem histórico da região representa a luta dos seringueiros em favor da floresta e da regularização da situação fundiária das populações remanescentes do ciclo da borracha. Assim como Wilson Pinheiro, Mendes foi um símbolo acreano em busca da igualdade e da paz na Amazônia.

Os visitantes vão se encantar com essas e outras histórias contadas de perto por um povo humilde e muito simpático. A gastronomia da região é hipnótica. Pratos saborosos como o pirarucu, a costela de tambaqui, a saltenha (salgado típico da Bolívia, com massa parecida com a de pastel e recheio de frango) aguçam seu paladar. Diversos roteiros foram montados para que os turistas percorressem diferentes caminhos pelo Acre apreciando novas sensações e novas experiências.

Caminhos Acreanos

Nos Caminhos da Floresta, o turista é convidado a aventurar-se em diversas atividades ao ar livre espalhadas pela Amazônia. São muitos parques e muitas atividades, com especial destaque para o Eco Parque Ayshawa, com circuitos de arvorismo e tirolesa.

O Caminho das Aldeias é um roteiro que explora a riqueza do Vale do Juruá, onde é possível conhecer diversas etnias indígenas. Descubra as trilhas do Parque Nacional da Serra do Divisor e mergulhe na maior biodiversidade do planeta.

Nos Caminhos da Revolução, entre na história do estado e das guerras entre os seringueiros e bolivianos. Já no Caminho de Chico Mendes, desbrave um tradicional seringal da primeira metade do século 20 e conheça a história do líder acreano. Perto de Rio Branco, é possível apreciar os gigantescos geoglifos (estruturas de terra em formatos geométricos, como retângulos, hexágonos, octógonos e etc.) feitos por populações que lá viveram há cerca de mil anos.

Estes destinos são contemplados pelo Programa de Promoção e Comercialização Nacional da Abeta (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura), que trabalha para fortalecer o segmento e reforçar o potencial do Brasil para oferta segura e responsável de atividades de Ecoturismo e Turismo de Aventura.

veja também