Adventure Sports Fair aposta em sustentabilidade

Adventure Sports Fair aposta em sustentabilidade

Atualizado: Sexta-feira, 11 Setembro de 2009 as 12

Acontece em São Paulo a Adventure Sports Fair, maior feira de esportes e turismo de aventura da América Latina, entre os dias 10 e 13 de setembro. Em um espaço de 500 m² no Centro de Exposições Imigrantes, as opções para os visitantes incluíam desde equipamentos para aventureiros, passando por representantes de estados brasileiros e internacionais, chegando até a oportunidade de caminhar em gelo trazido da Patagônia especialmente para o evento. "A expectativa nossa é que 60 mil pessoas passem pela feira até o último dia de evento. Nesse ano, trazemos mais opções de turismo de aventura e é imperdível conferir o trabalho do exército brasileiro, que está do lado de fora do evento fazendo demonstrações de resgate, tarefa essa em que são os melhores do mundo", afirma uma das organizadoras do evento, Paula Canoletti.Sustentabilidade

Na 11ª edição da feira, a sustentabilidade foi um grande foco para os expositores e organizadores. "Nosso objetivo aqui é mostrar o potencial do Amazonas no segmento de ecoturismo e aventura, mas voltado sempre para a sustentabilidade. Mesmo com a preparação para a Copa de 2014, todas as nossas ações tem esse foco, além de qualificação", afirmou Andre Beraha, diretor de marketing da Amazonastur.

Canoletti acredita que o turismo de aventura no Brasil está no caminho certo de profissionalização e qualificação, mas afirma que é fundamental investir para que o segmento se conscientize. "Temos atrações nesse ano, como o Adventure Kids, que unem o conceito de aventura com a sustentabilidade para as crianças", revela.

Caminhando a passos largos

Entre os expositores e organizadores, uma opinião era consensual: o turismo de aventura brasileiro caminhou muito nos últimos cinco anos, mas ainda explora pouco de todo seu potencial. "A gente não explora nem 5% do nosso potencial, principalmente em termos de promoção estrangeiras", explica Álvaro Barros, coordenador do núcleo de desenvolvimento e qualificação da Abeta (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura). "Não estamos mais na idade da pedra, existe uma enorme evolução no processo de capacitação e qualificação, mas pode evoluir muito mais. Temos hoje cerca de 250 associados, o que representa cerca de 10% empresas da área", completou.

Segundo o coordenador geral de qualificação e certificação do Ministério do Turismo, Luciano Paixão, "o turismo de aventura no Brasil é um segmento que vem crescendo, só no ano passado movimentou R$ 500 milhões. O MTur está investindo desde 2005 no setor, com o Programa Aventura Segura, em parceria com a Abeta, buscando a qualificação e a certificação das empresas". Paixão afirmou que cerca de 120 empresas poderão se certificar nos próximos dez meses e que o ministério busca que esse número cresça para que as empresas possam ser promovidas no exterior, garantindo a segurança do segmento no Brasil.

veja também