Além das lagoas e dunas dos Lençóis Maranhenses

Além das lagoas e dunas dos Lençóis Maranhenses

Atualizado: Quinta-feira, 19 Maio de 2011 as 8:35

Antes ou depois da visita ao Parque Nacional, aproveite para conhecer outros atrativos da região Além de visitar os Lençóis, reserve tempo para fazer alguns dos passeios disponíveis na região, como navegar pelo Rio Preguiças. É a oportunidade de observar bem de perto a vegetação local, composta principalmente por árvores de mangues, açaí e buriti, e passear por entre igarapés. Ver o pôr-do-sol de dentro do Preguiças é mais uma das belas experiências da viagem. O farol localizado no povoado de Mandacaru, no distrito de Barreirinhas, é outro ponto de parada obrigatório. O primeiro foi inaugurado em 1909 e o atual existe desde 1940, mas só foi aberto oficialmente à visitação em 2004. Para se chegar ao topo dos 35 metros de altura do Farol de Mandacaru, novamente é preciso dar uma demonstração de fôlego. São 160 degraus divididos em 8 lances de escada. Mas a vista do Preguiças e do povoado compensa imediatamente qualquer esforço. Se vir o guia andando sem chinelos, não faça o mesmo. Pegue o seu e ponha-os nos pés, a areia é quente e você também pode acabar se ferindo dada a grande quantidade de pedras e cacos de vidros pelo caminho. Não saia de Mandacaru sem antes passar em uma das lojinhas de artesanato existentes no local. Segundo o guia Silva, as mães da comunidade se reuniam e criaram o Clube de Mães, uma espécie de cooperativa em que cada mulher se compromete a ficar um dia na loja e os outros têm livre para produzir seu trabalho. Depois, dividem o lucro. A matéria-prima base para o artesanato é a fibra do buriti, encontrada no alto da árvore. Ela é pintada e trançada para virar porta-retratos, chapéus, bolsas dos mais variados tipos e tamanhos, colares, brincos, porta-trecos e até chinelos. Além da originalidade dos produtos, os preços são um convite ao consumo: por R$ 5 é possível comprar um pequeno porta-joias, por R$ 7 um colar e por R$ 10 uma bolsinha. Antigo ponto de encontro de pescadores, o povoado de Vassouras é hoje um dos passeios mais procurados por turistas. Isso porque em volta do restaurante montado na beira do Rio Preguiças há uma mata com diversos macacos que saem em busca de comida e as encontram na mão dos turistas. Por R$ 2 pode-se comprar coco para alimentar os macaquinhos, as galinhas e um quati, carinhosamente chamado de Kiko pela dona do restaurante, Ana Lúcia Gomes Dias, de 43 anos. * A repórter viajou a convite da CTI Nordeste

veja também