Amazônia e Manaus (AM): passeios que surpreendem turistas de toda parte

Amazônia e Manaus (AM): passeios que surpreendem turistas de toda parte

Atualizado: Segunda-feira, 15 Junho de 2009 as 12

Localizada ao norte do país, Amazônia possui área de mais de 7 milhões de Km2 , abrangendo sete estados brasileiros e nove países da América do Sul. A região é recoberta pela Floresta Tropical Amazônica e formada pela bacia do Rio Amazonas que, com mais de mil afluentes representa, pelo menos, 20% de todos os recursos hídricos disponíveis no planeta.

Devido à sua grande biodiversidade, a Amazônia representa uma enorme reserva de recursos naturais - vegetais, minerais e animais - e influencia diretamente o equilíbrio climático da Terra. Além de grandes áreas de florestas, a Amazônia também apresenta cerrados e campos rupestres, campinas, matas secas, igapós, manguezais, ilhas, praias fluviais de areia branca, cachoeiras, e riquíssimas flora e fauna, com cerca de 30 mil espécies de plantas e 30 milhões de espécies animais.

Os rios da Amazônia são a melhor maneira de conhecer a floresta e observar os animais da região. Os passeios de barco por igarapés, afloramentos rochosos e bancos de areia são uma grande aventura, e ainda existem opções de caminhadas pela mata, pernoite na selva, focagem noturna de animais, pesca esportiva e a prática de canoagem e rafting.

No centro da maior floresta tropical do planeta encontra-se Manaus, uma cidade comercial alegre, cujo nome tem origem na valente tribo de índios Manaós. Fundada durante o apogeu da borracha, já foi considerada uma das mais ricas cidades do mundo e convive com um extraordinário estoque de recursos naturais. Rica em história e cultura possui edificações monumentais construídas com matérias-primas importadas da Europa e decoradas com luxo e requinte pelos mais famosos artistas internacionais da época, entre os quais o Palácio Rio Negro que agora serve como residência para o Governador do Estado.

Vale a pena uma visita ao centro antigo: caminhar pelo porto flutuante e conhecer o mercado de peixes e temperos coloridos, aberto todos os dias, que oferece uma variedade fantástica de plantas medicinais típicas da Amazônia. Manaus também possui uma grande variedade de lojas, como um grande e moderno Shopping Center. A vida noturna é alegre, principalmente na estrada da Ponta Negra, uma avenida ao longo do rio, além de atividades agradáveis na praia, há muitos restaurantes e cafés.

Amazônia

Anavilhanas: maior arquipélago fluvial do mundo, formado por 400 ilhas, centenas de lagos, rios, igapós e igarapés, ricos em espécies vegetais e animais. Situado no rio Negro, a 100 Km de Manaus, o conjunto de ilhas é protegido pela legislação federal que criou a Estação Ecológica de Anavilhanas, com área de 350 mil hectares.

Caminhadas na floresta: ótima opção para a integração do visitante com a flora e fauna locais. Os passeios são feitos com o acompanhamento de guias por trilhas que possibilitam o reconhecimento do ecossistema nativo.

Cachoeiras da Iracema e das Araras: também na região de Presidente Figueiredo, as quedas d'água formam piscinas naturais, corredeiras e grutas, além das trilhas que margeiam o rio Urubuí.

Cachoeira da Neblina: a mais alta da região de Presidente Figueiredo, com 35 metros de altura. É necessário realizar um trekking de aproximadamente 3 horas para chegar até a cachoeira.

Cachoeira do Santuário: localizada na região de Presidente Figueiredo, as piscinas naturais são formadas por várias quedas d'águas e corredeiras. Possui 20 metros de altura e é local ideal para a prática de cascading.

Caverna Maruaga: localizada na região de Presidente Figueiredo e de fácil acesso, chega-se à caverna após trilha leve. Possui quedas d'água e rio subterrâneo e foi escavada pela água há 18 milhões de anos.

Encontro das Águas: as águas escuras do rio Negro se encontram com as águas barrentas do rio Solimões, correndo lado a lado, sem se misturarem, por uma extensão de cerca de 6 km, até desembocar no oceano Atlântico. Trata-se de um fenômeno muito apreciado por turistas, que acontece pela diferença de densidade, temperatura e velocidade da água de ambos os rios.

Focagem noturna de jacarés: passeio feito em barcos regionais, com acompanhamento de guias. O objetivo é a observação de jacarés e outros animais de hábitos noturnos.

Passeio de barco e pescaria: é uma das melhores maneiras de explorar a região e praticar pesca esportiva. O passeio é feito em canoas, motorizadas ou não, e permite a observação da fauna local.

Pernoite na selva: para os visitantes que querem interagir totalmente com a natureza, alguns hotéis oferecem a oportunidade de pernoitar no meio da selva, dormindo em redes, em casa estilo indígena. Acompanhamento de guias locais especializados.

Presidente Figueiredo: distante 107 km de Manaus, o município de Presidente Figueiredo é famoso por suas cachoeiras, localizadas entre as reservas ecológicas de Iracema e Santuário, assentadas em rochas de arenito. A região conta ainda com cinco sítios arqueológicos e nove cavernas abertas à visitação.

Rios Urubuí, Pitinga e Uatumã: afluentes do Amazonas, também na região de Presidente Figueiredo, formam corredeiras que possibilitam a prática de canoagem. Por enquanto, a atividade não é realizada comercialmente.

Atrações em Manaus

Bosque da Ciência (Inpa): área preservada pelo INPA-Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, que estuda o meio ambiente e particularidades da fauna, flora, minerais e fosséis da região. Além da casa Ciência e do Lado Amazônico, os animais que fazem parte dos projetos de preservação, como o peixe-boi e a ariranha, são atrações interessantes.

Palácio Rio Negro: este prédio foi construído no final do século XIX pelo engenheiro Henri Joseph Moers, para ser a residência particular do comerciante de borracha, o alemão Waldemar Scholtz. Em 1911, o prédio foi hipotecado ao Coronel Luiz da Silva Gomes, que o arrendou para o Governo Estadual. Em 1918, o Estado comprou o prédio para ser residência oficial do governador, passando a denominar-se Palácio Rio Negro. Atualmente o prédio abriga o Centro Cultural Palácio Rio Negro sendo palco de exposições, shows musicais e teatro.

Porto Flutuante: inaugurado em 1902, é uma curiosa obra flutuante, de engenharia inglesa, que oscila conforme as enchentes e vazantes do Rio Negro, com desníveis de mais de 10 metros. Recebe navios de cruzeiro e está sendo transformado num complexo de compras e serviços de interesse turístico.

Teatro Amazonas: principal patrimônio cultural do estado, o Teatro Amazonas foi inaugurado em 1896 no auge da época da borracha. Apesar da predominância de elementos neoclássicos, adotou-se neste edifício vários outros estilos que o caracterizam como uma obra eclética, com materiais trazidos da Europa e artistas internacionais como Domenico de Angelis, Giovani Capranesi e Crispim do Amaral contribuindo para a beleza do local.  Tombado como patrimônio histórico em 1965, tem capacidade para 701 pessoas distribuídas entre a platéia e seus três andares. Após restauração realizada pelo Governo do Estado em 1990, retomou seu apogeu com a apresentação de óperas famosas e músicos nacionais e internacionais.

Museu de ciências Naturais: é administrado pela Associação Naturalista do Amazonas. No acervo do Museu, há muitos animais da floresta amazônica empalhados e várias espécies de peixes. Destaque para o grande aquário, no qual é possível encontrar piraíbas, tucunarés e tambaquis. O que também atrai a atenção dos visitantes são os peixes pirarucus de dois metros e 150 quilos. Além de peixes, no acervo do Museu há vários tipos de insetos, até mesmo raras borboletas e grandes aranhas. O maior deles é o Besouro Hércules, que mede 16 centímetros.  

Relógio Municipal: foi encomendado a uma relojoaria suíça, sendo montado e revisado por Pelosi e Roberti, antigos ourives de Manaus. A construção do seu pedestal foi concluída no final de 1927. Junto com o obelisco erguido em comemoração ao centenário da elevação de Manaus à categoria de cidade, o Relógio Municipal compõe a paisagem arquitetônica do largo da Matriz.

Zoológico do CIG’S: mantido pelo Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIG’S), onde podem ser encontradas as principais espécies de animais tipicos da região como onças, macacos, tartarugas, cobras, araras, etc. Esses animais são capturados em missões realizadas na selva, por oficiais do Exército Brasileiro.

Zona Franca de Manaus: é uma área de livre comércio de exportação e importação e de incentivos fiscais, estabelecida com a finalidade de implantar, no interior da Amazônia, um centro industrial, comercial e agropecuário, dotado de condições econômicas e administrativas, que permitam seu desenvolvimento, em face dos fatores locais e da grande distância em que se encontram os centros consumidores de seus produtos.Beneficiando primeiramente somente a cidade de Manaus, a Zona Franca hoje tem sua ação estendida a toda Amazônia Ocidental.

Vale lembrar

Sobrevôo: se você estiver em Manaus e com disponibilidade, faça o sobrevôo pela região onde acontece o encontro dos rios Negro e Solimões. Alguns hotéis de selva realizam o traslado também aéreo. O passeio é sensacional!

Animais: leve binóculo para observar os bichos, sem assustá-los.

Fotografia: não esqueça de levar máquina fotográfica e muitos filmes.

Insetos: durante os passeios, tenha sempre à mão uma blusa de manga comprida, pois no final do dia a temperatura pode cair. Além disso, leve também repelente para se proteger contra os mosquitos. Uma opção mais natural é tomar pílulas de vitamina B 12, quatro dias antes da viagem.

Passeios: não perca nenhuma atividade oferecida pelos hotéis de selva. Estão incluídas caminhadas pela secular floresta, passeios de canoa pelos belos igarapés e um dos programas de maior sucesso: a focagem noturna de jacarés. Para os hóspedes que querem um contato mais direto com a natureza, alguns hotéis oferecem a oportunidade de passar uma noite no meio da selva, dormindo em redes. Se você é amante do " Birdwatching ", existem hotéis que são especializados na atividade.

Pernoite na selva: para os hóspedes que querem um contato mais direto com a natureza, o Amazonat oferece a oportunidade de passar uma noite no meio da selva, dormindo em redes em um lugar que chamamos "Jane's Place", uma casa em estilo indígena, a três quilômetros de caminhada partindo do hotel. Os hóspedes saem do Lodge a tarde, chegam no "Jane's Place" por volta das 18:00, fazem uma caminhada noturna, jantam ali mesmo (frutas, saladas, churrasco, etc), dormem e retornam no dia seguinte para tomar o café da manhã no hotel. Esta caminhada é feita com a presença dos guias locais, com total segurança. No "Jane's Place" não existe qualquer risco para os hóspedes.

Vacina: providencie a vacina anti-amarílica (febre amarela). Recomenda-se atualizar a vacinação anti-tetânica e anti-hepatite B.

veja também