Após tragédia, treinadores não nadam com cetáceos no SeaWorld

Após tragédia, treinadores não nadam com cetáceos no SeaWorld

Atualizado: Quinta-feira, 29 Abril de 2010 as 12

Envolvido em uma polêmica desde o início do ano, quando uma orca macho matou uma treinadora, o parque SeaWorld (www.seaworld.com) continua realizando apresentações com esses cetáceos, conhecidos como baleias assassinas, mas, depois do acidente, os treinadores não entram mais na água para nadar com os animais, sejam eles fêmeas ou machos --normalmente mais agressivos--, como acontecia anteriormente.

Os shows continuam entre as principais atrações do parque, mas a montanha-russa Manta, inaugurada no ano passado, está na briga pelo primeiro posto. Assim que todos se sentam, o carrinho vira e os visitantes sobem os trilhos olhando diretamente para o chão. É de dar medo, mas assim que a primeira descida acaba o brinquedo fica mais gostoso.

Embaixo dos trilhos da Manta está o aquário do parque. Como se fosse em uma caverna, a iluminação realça as cores dos peixes. Um dos aquários é só para raias, outro, para cavalos-marinhos que se confundem com plantas.

Por mais US$ 7, é possível alimentar golfinhos. Os visitantes ficam em volta de um tanque, assistem à explicação de uma monitora do parque e recebem latinhas com pequenos peixes mortos. Aí, é hora de dar aos animais. Eles se aproximam ávidos para comer. Só é preciso tomar cuidado para que objetos como anéis e relógios não escorreguem.

Outro parque do grupo SeaWorld é o Discovery Cove (www.discoverycove.com), inaugurado em 2000. Lá, os visitantes podem nadar ao lado de golfinhos e outros animais marinhos.

Tragédia

A treinadora Dawn Brancheau, 40, morreu em março, no intervalo entre dois shows aquáticos, após ser atacada por uma orca. A causa da morte, divulgada no início de abril, foi afogamento e pancada forte na cabeça, pescoço e torso, segundo a autópsia.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também