Aprenda dicas para minimizar o jet lag em longas viagens

Aprenda dicas para minimizar o jet lag em longas viagens

Atualizado: Quinta-feira, 25 Agosto de 2011 as 9:22

Viajar entre os diferentes fuso horários afeta o organismo drasticamente. Há quem sinta enjoos, irritação, dificuldades de concentração, cansaço, insônia, entre tantos outros sintomas que o jet lag pode causar e que varia de pessoa para pessoa e de viagem para viagem. As sugestões mais frequentes para amenizar o problema, como não cochilar, fazer caminhadas durante o dia e evitar cafeína, quase nunca funcionam. Assim, muitos turistas procuram drogarias para comprar remédios que minimizem os incômodos do Jet lag.

Infelizmente ainda não existe um único remédio capaz de acabar com o problema, mas há coquetéis que podem ajudar e que devem ser tomados sob prescrição médica, como sugeriu o site BBC.

Para acordar

Ao invés de estimular a sonolência, alguns remédios como os de princípio ativo armodafinil e modafinil ajudam o turista a ficar acordado e em estado de alerta, servindo para o tratamento da sonolência diurna relatada por muitos portadores de jet lag.

Tecnicamente são medicamentos usados no tratamento de doenças sérias como narcolepsia e apneia, mas os médicos podem prescrevê-los de maneira não oficial para tratar jet lag. Alguns laboratórios até já tentaram oficializar os medicamentos como úteis para o problema junto ao órgão norte-americano Food and Drug Administration (FDA), realizando até testes em humanos, mas o órgão não regularizou o uso para o tratamento de Jet lag.

Alla Kirsch, médica especializada em medicina do turismo contou que raramente usa este tipo de medicação em seus pacientes, a não ser que eles tenham a necessidade de se manterem acordados quando chegam em seus destinos. "Esse tipo de prescrição gera diversas discussões no meio médico", contou.

Sono profundo

Médicos e viajantes estão mais acostumados com remédios que ajudam a dormir, pois se adaptar ao fuso local é essencial para reduzir os efeitos do jet lag. Assim, drogas como zolpidem, eszoplicone e zaleplon são algumas das mais populares entre aqueles que viajam frequentemente, pois agem rapidamente, mas não deixam a pessoa apagada por mais do que cinco horas. Além disso, não causam sonolência ao longo do dia.

Alguns turistas preferem remédios prescritos para ansiedade, como alprazolam e diazepam. "Além de ajudar a dormir, acalmam sem sedar", explicou Alla Kirsch. Há ainda quem use remédios para enjoo e antialérgicos que não precisam de prescrição médica, pois causam sonolência. Todavia, muitos turistas se queixam de efeito ressaca.

Quem optar por ingerir medicamentos para relaxar no avião deve passar bem longe de bebidas alcoólicas, beber bastante água e procurar se alongar antes e depois do sono. "Ficar muito tempo na mesma posição no avião pode facilitar o aparecimento de tromboses e coágulos", disse a médica.

A forma sintética da melatonina, um hormônio secretado pelo organismo de acordo com a presença ou ausência de luz solar é outro mecanismo adotado por turistas que querem fugir do jet lag. Ingerir entre um e três gramas do medicamento durante voos longos ajuda a ajustar o ritmo circadiano, que é organizado pela luz solar. "O tempo de uso é baseado no perfil individual e no tempo de voo do itinerário", disse Bill Ashton, da empresa californiana StopJetLag, que prepara dietas especiais para viajantes que sofrem do mal. Em alguns países, como Canadá e Reino Unido, a melatonina sintética não é encontrada à venda, mas nos Estados Unidos ela é vendida como um suplemento alimentar.

Outros produtos

Há uma grande variedade de coquetéis que prometem dar fim ao jet lag. Alguns são combinações de ervas que evitam a desidratação, aumentam a imunidade e melhoram a circulação; outros, combinam vitaminas do complexo B, sucos de frutas, melatonina sintética e raízes calmantes. Todavia, consultar um médico antes ou durante a viagem é ainda o meio mais eficaz de reduzir os incômodos da diferença de fuso, sem correr riscos de comprometer a saúde.

veja também