Arequipa e Colca (Peru): trilhas, cavalgadas, rafting e canoagem entre majestosos vulcões

Arequipa e Colca (Peru): trilhas, cavalgadas, rafting e canoagem entre majestosos vulcões

Atualizado: Segunda-feira, 25 Maio de 2009 as 12

Localizada a 2.360 metros de altura sobre o nível do mar, é a segunda principal cidade do Peru. Conhecida como ''cidade branca'' pela especial brancura do ''sillar'', pedra vulcânica abundante na zona, Arequipa está aos pés do vulcão Misti, um nevado com 5.500 metros, e encontra-se rodeada de majestosos vulcões, num dos quais se encontrou a mundialmente famosa ''Mumia Juanita''.

Durante a colonização espanhola, a cidade peruana de Arequipa foi um importante entreposto para a prata que ia de Potosi para a Espanha, possuindo grande influência da arquitetura colonial. Hoje, encontram-se magníficos templos, como o da Companhia, conventos como o de Santa Catalina e palácios como o Huasacache, também conhecido como A Mansão do Fundador.

Na região de Arequipa encontra-se o Cânion do Rio Colca, um dos desfiladeiros mais profundos do mundo, sua profundidade alcança 3.180 metros. Cercado por uma bela paisagem, a região do Vale do Colca oferece diversas opções de atividades: trilhas, cavalgadas, rafting, canoagem e canyoning. Entre os meses de maio a outubro, as águas do rio Colca estão com o nível ideal para a prática da canoagem e rafting.

A rota que une Arequipa com o Vale do Colca, atravessa o Pampa Cañahua, uma reserva natural que protege a vicunha. O povoado mais importante do vale é Chivay, e dali parte-se para o Mirador da Cruz do Condor, com 3.287 metros, onde se admira o majestoso vôo do Condor, além da impressionante vista dos vulcões Sabancaya e Coropuna.

Principais atrações

Construções históricas: A cidade de Arequipa possui interessantes construções históricas. Uma delas é o Monastério de Santa Catalina, que esteve fechado ao público por 400 anos e se assemelha a uma pequena cidade. O conjunto de São Francisco apresenta o Convento, a Igreja e o Templo da Terceira Ordem. Em Arequipa também se encontram o Museu Arqueológico da Universidade San Agustín e o Museu Antropológico da Universidade Católica.

Lagunas de Mejía: é um ecossistema ilhado, herança das antigas terras baixas inundáveis que compunham parte da costa americana. O Santuário abriga lagoas de diversos graus de salinidade, que atraem 157 espécies de aves.

Pampa Cañahuas: é um dos habitats mais importantes para a preservação da vicuña, camelídeo peruano. Localiza-se dentro da Reserva Nacional de Aguada Blanca.

Vale do Colca: abriga sítios arqueológicos com pinturas rupestres, canyons, povoados tradicionais e o Rio Colca, onde é possível praticar rafting, com corredeiras rápidas e de grande dificuldade.

Vale lembrar

Bagagem: para vôos através da Lan Peru em classe turística, é permitido levar 1 mala com 20 kg por passageiro, além de 1 bagagem de mão com até 8 kg. Já a cia Taca permite levar 1 mala com até 22 kg e 1 bagagem de mão de até 10 kg. Lembre-se de identificá-las e fechá-las com cadeados. Nos aeroportos não existem carrinhos de bagagem disponíveis para passageiro. Carregadores do aeroporto (uniformizados) fazem o serviço mediante o pagamento de gorjeta.

Fique atento para as restrições da bagagem de mão e leia atentamente o check list que será entregue após a confirmação de sua viagem. Em caso de dúvidas, por gentileza, entre em contato com os consultores da Cia Eco.

Documentação: para brasileiros não é necessário visto ao entrar no país, porém o seu passaporte deve estar válido. Recomenda-se embarcar com o passaporte e não utilizar somente o RG original, pois este documento não é reconhecido pelas autoridades fazendeiras peruanas. Dessa forma, se o passageiro estiver somente com RG durante a sua viagem, são cobrados os impostos (IVA) de todos os serviços a serem realizados no Peru, principalmente nos hotéis. Para estrangeiros é necessário RNE original ou passaporte. Menores de 18 anos (viajando sem a presença do pai e da mãe): é exigida a autorização de pai e mãe com firma reconhecida em 3 vias.

Importante: Segundo informações do Consulado Boliviano, é obrigatória a apresentação do passaporte com validade mínima de seis meses no caso de viagens onde os passageiros entram na Bolívia a partir de um país que não é o de origem do passageiro. Somente em roteiros com vôo direto de São Paulo a La Paz, o RG é suficiente.

Vacina: É obrigatório a apresentação do Comprovante Internacional de Vacina contra Febre Amarela. Lembrando que ela deve ser tomada, no mínimo, 10 dias antes da viagem.

Importante: Desde o dia 1º de junho de 2008, as vacinas NÃO são mais aplicadas nos postos da Anvisa em Aeroportos e Portos do Estado de São Paulo. Nestes locais serão realizadas somente trancrições de certificados nacionais para internacionais. Para mais informações e esclarecimento de dúvidas,dirija-se ao posto de saúde mais próximo ou consulte o Ambulatório de Medicina do Viajante: 55 (11) 5084-5005, na Avenida Borges Lagoa,770. É importante ligar para agendar uma visita.

Em São Paulo,o passageiro pode dirigir-se aos postos localizados nas Rodoviárias do Tietê (aberto diariamente, das 8h às 22h) e Barra Funda (aberto diariamente, das 8h às 20h).

Fuso Horário: - 2h em relação ao horário de Brasília

Idioma: os idiomas oficiais do Peru são o castelhano (espanhol) e o quíchua. O castelhano é falado em quase todas as cidades, enquanto o quíchua é falado apenas na região andina. No altiplano (departamento de Puno), também é falado o aymara, embora não é considerado como idioma oficial.

Moeda: Nuevo Sol. O câmbio do dólar pode ser feito na maioria dos hotéis, em casas de câmbio e até mesmo na rua (indicamos outras opções). Diversos lugares aceitam pagamento em dólares. Procure levar notas trocadas para facilitar o câmbio. Cartões de Crédito são aceitos em diversos estabelecimentos, mas na maioria haverá uma sobre taxa de 9%. Para ter uma idéia do valor do câmbio, você pode consultar: www.cotacao.com.br.

Dica: o custo de vida no Peru é mais baixo que no Brasil. No ítem alimentação, por exemplo, você pode calcular em média, US$ 20 a U$ 30 por dia. Porém, lembramos que tudo depende da sofisticação dos restaurantes escolhidos. Não se esqueça de levar dinheiro para as taxas de embarque e para as compras de artesanatos nas feiras locais.

Gastronomia: Não deixe de saborear os melhores pratos da comida Arequipenha como o tradicional chupe de camarões (uma sopa de leite, com milho, favas verdes, arroz, batata, pimentão picante, queijo minas, o aromático huacatay, camarões e ovos).Em Arequipa também prepara-se muito concentrado e basta só um pingo de café para o preparo do café com leite. Os chás são conhecidos como "mates". Nas zonas das serras é mais frequente o mate de coca um bom digestivo.

Energia Elétrica: 220V

Embaixada: Contato da embaixada do Peru no Brasil: (61)242-9933/242-9835/242-9435.

Alfândega Brasileira: na chegada são permitidos objetos de uso pessoal, roupas e brinquedos e U$500 em eletrônicos, mais U$500 de Free Shop.

Ligações para o Brasil: para realizar chamadas a cobrar, utilize o código do Peru: 0800 50190 ( Tefonica del Perú), depois escolha o idioma no qual deseja ser atendido e por último escolha uma das opções de ligação:

1- Ligações automáticas

2- Ligações com cartão telefônico

3- Ligações com auxílio de operador

Compras e Artesanato: para quem vai fazer compras, a ordem é pechinchar. O artesanato no Peru é bastante interessante e multicolorido. É possível comprar peças de lã de vicunha, lhama ou alpaca, os três camelídeos sul-americanos.

Cuidados: a região é extremamente seca. Para quem tem problemas de pele seca ou sangramento do nariz, é recomendado usar bastante hidratante e também soro no nariz. Procure sempre beber água potável de garrafa ou leve um purificador (gotas ou comprimido). Fique atento aos restaurantes indicados, pois alguns locais na região não atendem as normas de higiene. Tenha sempre a mão o endereço dos hotéis.

veja também