Atrações imperdíveis no sertão nordestino

Atrações imperdíveis no sertão nordestino

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 11:36

Para grande parte dos turistas brasileiros, o Nordeste se resume a praias paradisíacas e águas claras. É uma pena. Distante do litoral, no sertão quente da região, os turistas encontram paisagens inigualáveis.

São cânions gigantescos, cavernas, sítios arqueológicos e formações rochosas imponentes, um cenário diferente dos habituais destinos praianos de mar azul e areia branca. Conheça algumas das belezas escondidas na Paraíba, Sergipe, Piauí, Bahia e Ceará.

PARAÍBA

Lajedo de Pai Mateus e a Roliúde Nordestina

Em Cabaceiras

Ao chegar a Cabaceiras, distante 180 quilômetros de João Pessoa, o letreiro na entrada da cidade avisa: você está entrando na “Roliúde Nordestina”. Não estranhe o título irreverente. Aqui foram gravados mais de 20 filmes, documentários e minisséries, como “O Auto da Compadecida” e “Cinema, Aspirinas e Urubus”.

Passeando pelo município de cinco mil habitantes, dá para reconhecer a igreja matriz Nossa Senhora da Conceição, casas e praças que serviram de cenário para as produções. Mas, se quiser saber mais sobre os filmes rodados ali, vale à pena fazer uma visita ao acervo de fotos do Memorial Cinematográfico.

Um dos principais atrativos turístico da região, no entanto, é o Lajedo de Pai Mateus, um platô de 1,5 quilômetros quadrados, sobre o qual estão dezenas de grandes pedras arredondadas de granito. Em algumas destas rochas, são encontradas pinturas rupestres atribuídas aos índios cariris, que viveram na região entre 10 e 12 mil anos atrás. Para visitar o Lajedo é preciso pagar uma taxa de visitação de R$ 10 ao Hotel Pai Mateus.

A poucos quilômetros do Lajedo, vale também conferir outra formação rochosa curiosa, a Saca de Lã. Com cerca de 30 metros de altura, ela é formada por vários blocos de granito empilhados. Quem se arrisca a subir até o topo da última pedra, pode apreciar uma bela vista da paisagem.

Como chegar:

De carro: Para quem sai de João Pessoa, o acesso até Cabaceiras é pela BR-412, passando pelas cidades de Campina Grande, Queimadas e Boqueirão. De ônibus: saindo da capital paraibana, o transporte até Campina Grande é feito pela Empresa Real. De lá, pode-se pegar um ônibus até Cabaceiras com a empresa Rio Doce.

SERGIPE

Cânion do Xingó

Em Canindé de São Francisco

A quilômetros do litoral do Sergipe, os turistas encontram uma das mais belas paisagens do estado: o Cânion do Xingó. Neste vale profundo, os paredões de granito avermelhado circundam as águas esverdeadas do Rio São Francisco, que foram represadas para a construção da barragem da Usina Hidroelétrica do Xingó.

É um dos cinco maiores cânions navegáveis do mundo, com 65 quilômetros de extensão e altura que chega a 50 metros. Completam a paisagem a vegetação da caatinga e as muitas espécies de animais que habitam a região, como calangos e corujas.

O ponto de partida para quem quiser conhecer esta maravilha da natureza é o município de Canindé de São Francisco, localizado a 213 quilômetros de Aracaju. De lá, partem passeios de catamarãs, lanchas ou escunas pelas águas calmas do Velho Chico. O tour feito até a Gruta do Talhado dura cerca de três horas, com uma hora de parada para mergulho.

Outra opção de passeio percorre a chamada Rota do Cangaço. O trajeto com cerca de quatro horas leva até a Grota de Angicos, nome dado ao local onde Lampião e Maria Bonita foram assassinados. No caminho, é feito uma parada no Museu do Cangaço, na cidade histórica de Piranhas, que tem em seu acervo objetos e fotografias dos cangaceiros.

Como chegar:

De carro: Saindo de Aracaju, segue-se pela BR-235. Atravessa os municípios de Areia Branca, Itabaiana até Rebeirópolis. De lá, continue pela SE-106 até Nossa Senhora da Glória. Siga pela rodovia SE-206, passando por Poço Redondo, até Canindé de São Francisco.

PIAUÍ

Parque Nacional da Serra da Capivara

Na Serra da Capivara

Ainda pouco visitado e conhecido dos brasileiros, o Parque Nacional Serra da Capivara é um dos maiores museus a céu aberto do mundo. Localizado em pleno sertão nordestino, o seu acervo é composto por mais de 30 mil pinturas rupestres, com idades entre 6 e 12 mil anos. São ilustrações que reproduzem cenas do dia a dia do homem primitivo, dos cerimoniais e dos animais, em meio a paredões de granito e formações rochosas diversas.

Declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, o Parque guarda a maior concentração de sítios arqueológicos do mundo. São quase 700, sendo que apenas 138 destes estão abertos à visitação.

O passeio é feito por trilhas demarcadas e passarelas, conduzido por guias que explicam um pouco da arte do homem pré-histórico. As atrações estão reunidas em diferentes circuitos. É aconselhável um dia para visitar cada um deles. O mais famoso é o circuito do Baixão da Pedra Furada, composto por vários sítios arqueológicos, sendo o principal o Boqueirão da Pedra Furada. Lá, há uma enorme formação rochosa de 60 metros de altura, com uma abertura de 15 metros de diâmetro. É o cartão-postal do Parque.

A base para quem quer visitar a Serra da Capivara é a cidade de São Raimundo Nonato, distante 502 km de Teresina e 355 km de Petrolina. No município de 30 mil habitantes, pode-se visitar ainda o Museu do Homem Americano, que expõe alguns dos achados do Parque Nacional da Serra da Capivara.

Como chegar:

Saindo de Teresina, o acesso é pelas rodovias BR-316, BR-343 e BR-230 até Floriano. De lá, continue pela PI-140 até São Raimundo Nonato.

BAHIA

Esportes radicais e Raso da Catarina

Em Paulo Afonso

Na Bahia, não faltam cobiçados destinos turísticos: Salvador, Porto Seguro, Arraial d’Ajuda, Ilhéus, Itacaré e mais, mais e mais. Ainda assim, há sempre espaço para mais um. Para conquistar os viajantes, o município de Paulo Afonso, a 460 quilômetros de Salvador, resolveu apostar no turismo de aventura.

A cidade, cuja paisagem foi transformada radicalmente com a construção das usinas hidrelétricas, tem um cenário propício para a prática de esportes radicais. Os paredões rochosos cercam as águas esverdeadas do Rio São Francisco, formando um vale. Neste cânion imponente, foi construída uma passarela metálica que cruza o vão de 85 metros. De lá, aventureiros se arriscam em incríveis saltos de bungee jumping.

O cenário também é perfeito para a prática do rapel - descida dos paredões com corda -, e da tirolesa, na qual o participante desliza por uma corda esticada de uma ponta à outra do cânion. Nas cachoeiras da cidade, é possível ainda praticar o canyoning. Nas águas do Velho Chico, muitos moradores e turistas também se divertem com jet-ski, kitesurfe, windsurfe e passeios de barco.

Além dos esportes radicais, outra atração imperdível é conhecer o Raso da Catarina, uma reserva biológica e indígena recoberta por vegetação da caatinga. O clima é semelhante a dos desertos, com temperaturas que podem chegar a 40oC durante o dia e 10oC à noite. Por aqui, já se refugiaram o cangaceiro Lampião, sua mulher, Maria Bonita, e o restante do bando.

Passeios pela reserva devem ser agendados com um guia local. Entre as atrações, pode-se observar formações rochosas esculpidas pelo vento, a fauna e a flora típicas do sertão.

Como chegar:

De carro: Saindo de Salvador, siga pela BR-110. O município localizado no ponto de encontro dos estados da Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe tem acessos pelas rodovias BR-210 e BR-423. De avião: O aeroporto da cidade está localizado a 6 quilômetros do centro. As companhias aéreas que fazem voo direto são: BRA (saindo de São Paulo), Correta (saindo de Salvador) e ATA (saindo de Recife). De ônibus: Há saídas rodoviárias partindo de todas as principais cidades do Nordeste.

CEARÁ

Padre Cícero e Chapada do Araripe

Em Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte, a 563 km de Fortaleza, poderia ser mais um pequeno povoado do sertão nordestino, não fosse a vinda de Padre Cícero Romão Batista, o “Padim Cícero”, à cidade. Natural do município vizinho de Crato, o religioso fixou residência em Juazeiro em 1872, mudando o destino do local e de seus moradores.

De vilarejo, passou a maior cidade do sertão cearense e meca de romeiros vindos de todo o Brasil. Ela recebe anualmente milhares e milhares de romeiros que chegam a pé, de carro, caminhão, ônibus, cavalo, jegue, charrete e bicicleta. Nos dias de romaria, ou no dia do aniversário do padre (20 de julho), a cidade fica lotada e é difícil encontrar vagas em hotéis.

Quem chega a Juazeiro, visita logo a Colina do Horto, onde está localizada a estátua de 25 metros do Padre Cícero. Com altura equivalente a um prédio de oito andares, mesmo quem não é devoto deve conhecê-la. A vista do alto é linda e, no local, tem ainda um pequeno museu e uma capela.

Durante a estada em Juazeiro, vale fazer uma visita a Crato, localizada a apenas 10 km dali. A cidade natal de Padre Cícero está aos pés da Chapada do Araripe, um gigantesco altiplano que abriga fósseis de animais pré-históricos, uma exuberante floresta, grutas e cachoeiras. Aproveite para conhecer o Museu Paleontológico de Santana do Cariri, que guarda em seu acervo fósseis encontrados em escavações nas redondezas.

Como chegar:

De carro: Saindo de Fortaleza, chega-se a Juazeiro pela BR-116, passando pelas BR-230 e BR-122, além das estradas estaduais CE-138, CE-371, CE-269 e CE-385. De avião: O aeroporto de Juazeiro do Norte está localizado a 5km do centro. Recebe voos de São Paulo, Fortaleza, Rio de Janeiro, Recife e Brasília. De ônibus: Saindo de Fortaleza, as empresas Expresso Guanabara e Rápido Juazeiro levam até Juazeiro do Norte.

veja também