Bogotá, na Colômbia

Bogotá, na Colômbia

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 1:47

Experimentar o tradicional café colombiano, percorrer as calles (ruas) do antigo bairro La Candelaria, onde concentra-se boa parte dos monumentos que marcam a história política da Colômbia, fazer um passeio de chivanoturno, jantar em uma região badalada e ainda subir em Monserrate para conferir uma paisagem maravilhosa do alto da montanha são programas que podem dar uma visão geral, diferente e panorâmica de Bogotá.

Capital de um país que sofre com a imagem negativa das guerrilhas e do narcotráfico, Bogotá surpreende pela tranqüilidade e pela hospitalidade de seu povo chevere, gíria falada nas ruas que significa "bacana".

Fundada em 1538 pelos espanhóis, Bogotá não é diferente das grandes cidades da América Latina em termos de violência, trânsito e vida cultural ativa. Pontuada por museus que exibem desde a arte pré-colombiana até a contemporânea e por 19 bibliotecas, a capital colombiana exala cultura e esbanja atrações durante todo o ano.

Rock al Parque é um dos tradicionais festivais de música de Bogotá, que tem como cenário o parque Simon Bolívar. Outro evento que atrai visitantes do mundo todo é o Festival Iberoamericano de Teatro. O turismo de negócios também tem sido muito forte na capital, que liderou o ranking de maior número de visitas de todo o país em 2007.

Durante boa parte do ano, a cidade mantém uma temperatura constante de 14ºC e é comum presenciar a garoa que cai durante a tarde, uma chuva um tanto diferente -os pingos são mais grossos- que abaixa rapidamente a temperatura. Por isso, agasalho e guarda-chuva são dois itens imprescindíveis para não passar frio em Bogotá.

A 2.640 metros de altitude, a capital da Colômbia não possui grande quantidade de prédios altos, eles concentram-se apenas no centro, e a paisagem é marcada pelos morros que a cercam. Por isso, é possível avistar parte do território bogotano de qualquer região da cidade, principalmente se estiver em pontos mais elevados.

É comum o turista sentir desconforto por conta de altitude nos primeiros dias e, para aliviar essa sensação, recomenda-se tomar o chá de coca, comercializado em lojas de produtos naturais e em algumas feiras de artesanías (artesanato) na capital. Ao contrário das expectativas de muita gente que chega a Bogotá D.C., antigamente conhecida por Santa Fé de Bogotá, a cidade é mais normal do que parece.

Os policiais armados que você verá na rua podem assustar a princípio e causar um pouco de medo. Mas logo o turista irá perceber que esses policiais vestidos com trajes camuflados de Exército e com armas pesadas são ótimas fontes de informação, sempre dispostos a ajudar.

Os policiais ficam em pontos estratégicos, perto de centros comerciais e do centro internacional, onde concentram-se os edifícios de negócios da região. Mesmo assim, esteja preparado para ter suas malas, bolsas e sacolas revistadas pela polícia, tanto no embarque e desembarque no aeroporto quanto na entrada de museus, bibliotecas e de alguns prédios comerciais.

Em constante transformação, Bogotá desfruta de dois títulos internacionais importantes adquiridos nos últimos anos. Foi eleita Capital Mundial do Livro em 2007 -o título tem a duração de um ano- e ganhou o prêmio Leão de Ouro como a melhor cidade por sua transformação social, econômica e cultural na 10ª Exposição Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza, na Itália, em outubro de 2006. O país investe no turismo sustentável e quer recuperar a imagem de pólo turístico internacional afetada pelos episódios que envolvem a guerrilha e o narcotráfico.

O bairro da Candelaria, ao redor da Plaza de Bolívar, que leva o nome do revolucionário responsável pela independência de vários territórios da América Espanhola, pode lembrar alguns aspectos do Pelourinho, de Salvador, principalmente por conta das casas coloridas. A ciclovia, montada nas ruas da cidade aos domingos, é a maior da América Latina.

Os arredores da capital oferecem diversas atrações, como a Catedral do Sal, em Zipaquirá, e o bar-restaurante Andrés Carne de Res, no pueblo (município) vizinho de Chía. Ambos estão ao norte da cidade.

veja também