Bolívia investe no mercado brasileiro

Bolívia investe no mercado brasileiro

Atualizado: Sexta-feira, 25 Março de 2011 as 11:08

O Comitê de Promoção Turística da Bolívia, em conjunto com a companhia aérea boliviana Aerosur promovem hoje, dia 10, até às 20 horas, no Hotel Eldorado Boulevard, em São Paulo, o workshop “Bolívia – En la Ruta de las Maravillas”. O intuito, do comitê formado por dez expositores, todos da iniciativa privada, é promover a Bolívia ao mercado brasileiro, e atrair mais turistas ao país, que recebe anualmente cerca de 10 mil brasileiros.

De acordo com o coordenador do projeto, Mauricio Acosta, o número de turistas brasileiros é pequeno, ficando atrás de argentinos, peruanos e chilenos. “A ideia foi justamente fazer uma promoção conjunta, pois sabemos do potencial do Brasil, então queremos melhorar o contato, criar novos. Melhorar a relação comercial que temos”, comentou Acosta.

A ideia de focar a promoção no mercado brasileiro, segundo Acosta, surgiu há três anos, mas o projeto em si começou a tomar forma em 2010. “Deste ano a diante vamos focar no Brasil. A partir de 2012 também vamos investir no Japão”, disse.

“A Bolívia é um destino exótico, com mais de 300 atrações turísticas, onde os destaques são o Salar de Uyuni e o Lago Titicaca. Estes são nossos diferenciais”, explanou Acosta, que fez questão de ressaltar que a Bolívia quer entrar na escolha de viagem dos brasileiros.

Segundo Acosta, a promoção será inicialmente só voltada à cidade de São Paulo, mas promoções em outros destinos brasileiros não serão descartadas. “Nossa meta é fazer uma atividade por semestre. No segundo estamos vendo a possibilidade participar do Encontro Comercial Braztoa. E também a promoção em outros mercados paulistas, como Santos por exemplo. E também outros estados, como a Bahia”, disse.

“A Bolívia é um destino onde o custo-benefício é muito bom numa viagem. E com esta ação, além de promover tudo que temos a oferecer, também visamos facilitar o trabalho dos profissionais de turismo, gerando todas as informações necessárias para que eles saibam o que estão vendendo. E quanto aos turistas, contamos muito com o famoso boca a boca”, comentou Acosta.  

veja também