Boston é a melhor cidade para latinos nos EUA

Boston é a melhor cidade para latinos nos EUA

Atualizado: Quarta-feira, 24 Agosto de 2011 as 9:18

Boston lidera a lista das 15 melhores cidades nos Estados Unidos para jovens latinos em termos de qualidade de vida, trabalho e diversão, de acordo com um guia lançado na última sexta-feira (19). A lista é completada por Austin, Denver, Nova York, Phoenix, Los Angeles, Dallas, Chicago, San Diego, Tucson, Houston, San José, San Antonio, El Paso e Las Vegas, nessa ordem.

José Márquez, vice-presidente de Estratégia Interativa do canal de televisão a cabo Mun2 e responsável pela pesquisa, afirmou que os resultados foram surpreendentes.

"Acredito que talvez haja uma ideia antiquada sobre o que é uma cidade latina e isso está mudando", disse Márquez em entrevista à EFE. Boston se impôs em termos de população juvenil (40% de seus moradores tem entre 18 e 34 anos), diversidade (17% é latino), salário (US$ 56,5 mil por ano na média), baixa taxa de desemprego (6,6%) e índice de solteiros e solteiras (53,1% e 58,6%, respectivamente).

Os dados compilados pelo canal bilíngüe de Telemundo se baseiam em informações do Escritório do Censo, do Departamento de Estatísticas Trabalhistas e outros estudos. É a primeira vez que a cidade de Massachusetts lidera um ranking hispânico, normalmente integrado por cidades texanas como Austin, Houston e Dallas, além de Albuquerque, no Novo México, e Chicago, em Illinois, onde os latinos têm altos índices de população e representação política.

No entanto, o guia da Mun2 revela as cidades que estão melhor preparadas para servir a esta nova geração de hispânicos, comunidade que somou 50,5 milhões de pessoas em 2010, e que representa 16% da população dos EUA, segundo o censo. O guia considerou apenas aquelas cidades com meio milhão de habitantes ou mais. "Levamos em conta 16 critérios, usando principalmente dados do Governo federal. E demos mais peso aos índices econômicos", acrescentou Márquez.

Os critérios incluem percentagem de pessoas jovens, índice de graduação superior, número de colégios comunitários e universidades, custo de moradia, salário médio, taxa de desemprego, clima, segurança, percentagem de solteiros, diversidade e oportunidades para microempresários, entre outros. Márquez comentou que uma das razões que levaram o canal a elaborar a lista é que não existia uma classificação similar.

"Mas também porque os jovens latinos são os que impulsionam o crescimento da população nos EUA, são uma grande parte do futuro de nossa economia, de nossa cultura popular", declarou.

De acordo com o Censo 2010, os hispânicos cresceram na última década 43%, quatro vezes mais que o conjunto da população do país.

veja também