Botsuana (África): de perto com a vida selvagem da savana

Botsuana (África): de perto com a vida selvagem da savana

Atualizado: Sexta-feira, 29 Maio de 2009 as 12

Botsuana está situada no centro do sudoeste da África, cerca de 950 metros acima do nível do mar e a 600 Km da costa litorânea mais próxima. Faz fronteira com a Namíbia, África do Sul, Zâmbia e Zimbabue, portanto, uma opção ideal para combinar com visitas a estes outros países, especialmente a África do Sul.

Apresenta uma grande diversidade geográfica que varia de terras áridas até planícies verdejantes. Ao norte, abriga o surpreendente Delta do Okavango, que verte suas águas sobre férteis planícies que desaparecem no Deserto de Kalahari - águas essas provenientes de chuvas que caem na África Central, a 1.000 Km de distância.

Graças à política de conservação, tornou-se um país privilegiado que recusa o turismo massificado e foca a atividade na boa qualidade dos serviços e na conservação ambiental. A melhor maneira de conhecer o Botsuana é se hospedar nas reservas privadas, que oferecem serviço de nível internacional, excelente infra-estrutura e autênticos safáris para apreciar a vida selvagem e costumes do povo local. Grande parte de seu território é de solo acessível por veículos 4 x 4 e sobrevôos.

Principais atrações

Chobe National Park: próximo da fronteira com Zimbábue e Zâmbia, é residência de uma enorme variedade de mamíferos de grande porte e pássaros. Esse parque nacional, o segundo maior de Botsuana, cobre 10.566 Km² e tem uma das maiores concentrações de vida selvagem no continente africano, oferecendo safáris únicos. O parque é dividido em quatro ecossistemas distintos: Serondela, com suas planícies e florestas densas na área do rio Chobe, no extremo nordeste; o pântano de Sayuti no oeste, uma área que serve como palco para diversos documentários sobre a migração anual das zebras; os pântanos de Linyanti, no noroeste, e o interior seco e quente entre eles. O destaque do parque está na sua vasta população de elefantes, atualmente estimada em 120.000, a maior de toda a África. O elefante de Chobe migra, em movimentos sazonais de mais de 200 Km, partindo dos rios Chobe e Linyanti, onde eles se concentram na estação seca, até as reservas de água no sudeste do parque, na estação chuvosa.

Linyanti Wildlife Reserve: o rio Linyanti, que passou a se chamar Chobe, forma parte da fronteira entre Namíbia e Botsuana. Do lado namíbio, um pântano se forma na junção das águas do rio, que segue diferentes direções a partir de um terreno de origem vulcânica. Nessa parte, o pântano se parece com o Delta do Okavango, por causa dos papiros na beira d´água e das florestas de marulas e ébanos que circundam o terreno. A reserva, localizada na parte sul dos bancos do rio, abriga leões, leopardos, cheetas, cahorros selvagens, hienas, elefantes e hipopótamos. Pode ser percorrida em off-road.

Maun: portal de entrada para o Delta do Okavango e para Moremi Game Reserve, a capital turística de Botsuana é um centro de saída para muitos safáris. Nessa cidade de 30.000 habitantes, é possível encontrar uma boa infra-estrutura urbana para as demandas básicas.

Delta do Okavango: considerado um dos maiores deltas do mundo, suas águas, provenientes da Angola, são cristalinas e abundantes e se espalham entre vários canais e pequenas ilhas. Neste local, a presença de animais como crocodilos, elefantes, cachorros selvagens, búfalos entre outros diversos mamíferos e pássaros é constante.

Moremi Game Reserve: é uma das mais belas e variadas reservas da África com enorme população de aves e animais selvagens. Abrange aproximadamente um terço do Delta do Okavango. Oferece safaris em ''mokoros'' (canoas muito rústicas, construídas por nativos locais). A melhor época para visitar esta região vai de julho a outubro.

Nata: pequena cidade localizada a 300 Km de Maun, é importante centro de abastecimento na região nordeste de Botsuana. O entorno é de uma exuberância ímpar: são várias reservas de vida e pasisagens únicas. Pode-se visitar Makgadikgadi Pans Game Reserve, o Santuário de Pássaros, que possui 165 espécies de aves, entre flamingos e pelicanos, 17 Km ao sul da cidade, e o Nxai Pan National Park.

Makgadikgadi Pans Game Reserve: um antigo e imenso lago de 80.000 Km² que secou há milhares de anos, localizado entre Maun e Nata, ao norte do país. Apesar de sua aparência lunar, por alguns meses do ano, este lugar se transforma num dos mais interessantes pantanais da África. Após a chuva, as crateras se enchem de água e atraem milhares de flamingos e outras aves migratórias. A chuva também regenera as plantas e atrai zebras e predadores da África do Sul.

Central Kalahari Game Reserve: maior que o território da Dinamarca ou da Suíça, essa reserva é a segunda maior da categoria no mundo. A sua vastidão compreende planícies, rios e planícies de sal. Ao norte, encontram-se muitas espécies de árvores e dunas de areia; ao sul, florestas mais densas e, na parte central, savana. As chuvas são espalhadas e esporádicas. Dentro do parque, podem-se ver leões, girafas, kudus, leopardos, cheetas, entre outros animais, que aparecem mais na época que vai de dezembro a abril. Existem três pontos de entrada para a reserva: Xade, Khutse e Matswere. Existe também um povo que habita a região a milhares de anos, conhecido como san

Vale lembrar

Bagagem: Fique atento para as restrições da bagagem de mão e leia atentamente o check list que será entregue após a confirmação de sua viagem. Em caso de dúvidas, por gentileza, entre em contato com os consultores da Cia Eco.

Documentação: visto de entrada em Botsuana pode ser providenciado no Brasil junto ao Consulado Britânico ou localmente, mediante pagamento de taxa.

Vacina: é obrigatório apresentar o comprovante internacional de vacina contra febre amarela. É importante informar que as vacinas devem ser tomadas com antecedência - no caso de febre amarela, até 10 dias antes da viagem - para não ser surpreendido com a falta de alguma delas na ocasião da procura nos hospitais.

Recomenda-se também as vacinas contra Hepatite A (em duas doses, sendo que ao tomar a primeira, a pessoa já estará imune), disponível em clínicas particulares, e contra tétano e febre tifóide, disponíveis nos Hospitais Emílio Ribas, Hospital das Clínicas e Ambulatório de Medicina do Viajante da Vila Clementino.

- Hospital Emílio Ribas: Av. Dr. Arnaldo, 165. Atendimento de Seg. a Sex., das 12h30 às 15h. Agendar: 55 (11) 3896 1366.

- Hospital das Clínicas: Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255. Atendimento de Seg. a Sex., das 07h30 às 15h.

Importante: Desde o dia 1º de junho de 2008, as vacinas contra febre amarela NÃO são mais aplicadas nos postos da Anvisa em Aeroportos e Portos do Estado de São Paulo. Nestes locais serão realizadas somente trancrições de certificados nacionais para internacionais. Para mais informações e esclarecimento de dúvidas,dirija-se ao posto de saúde mais próximo ou consulte o Ambulatório de Medicina do Viajante: 55 (11) 5084-5005, na Avenida Borges Lagoa, 770. É importante ligar para agendar uma visita.

Em São Paulo, o passageiro pode dirigir-se aos postos localizados nas Rodoviárias do Tietê (aberto diariamente, das 8h às 22h) e Barra Funda (aberto diariamente, das 8h às 20h).

Fuso Horário: + 5h em relação ao horário de Brasília. No verão, a diferença é de apenas 4h.

Idioma: Inglês

Moeda: Rande. As notas vêm em R10, R20, R50, R100 e R200. Impostos sobre a mercadoria são incluídos na maioria dos preços dos bens e serviços (VAT - value-added tax), mas visitantes estrangeiros podem solicitar o reembolso no aeroporto.

Para ter uma idéia do valor do câmbio, você pode consultar: www.cotacao.com.br . Dica: Todos os hotéis e bancos ao longo da rota aceitam e convertem cash ou traveller checks para a moeda local. Os hotéis aceitam praticamente todos os cartões de crédito internacionais (Visa e Mastercard são os mais difundidos).

Gastronomia: Em geral, a gastronomia do país se compõe de pratos preparados com carne, peixe, vegetais, milho e sorgo (o quinto cereal mais importante do mundo). A cozinha africana privilegia os assados e o caldo é também um item importante na culinária africana. O prato típico da África é o caril, um guisado de vegetais reforçado com peixe ou carne seca.

Energia Elétrica: 220V

Alfândega brasileira: ao desembarcar no Brasil, são permitidos objetos de uso pessoal, roupas, brinquedos e U$500 em eletrônicos, mais U$500 de Free Shop.

Arte Africana: A manifestação artística na África representa usos e costumes das tribos africanas, através de pinturas, máscaras e esculturas feitas em diversos materiais. Os tecidos também dizem muito sobre a cultura do país. Houve uma época em que a quantidade de tecidos detidos por cada família era marca de riqueza e poder. Para quem gosta de fazer compras, encontra-se de tudo no país desde uma pulseira de diamantes até ovos de avestruz.

Cuidados: O sol na África do Sul é bastante forte, por isso recomenda-se o uso de protetor solar e chapéu.

veja também