Brasil e Venezuela discutem parceria para atrair mais turistas aos dois países

Brasil e Venezuela discutem parceria para atrair mais turistas aos dois países

Atualizado: Segunda-feira, 8 Junho de 2009 as 12

Brasil e Venezuela vão trabalhar conjuntamente para aumentar o fluxo entre os dois países e divulgar seus destinos na Ásia e no Oriente Médio. O acordo foi pactuado entre os ministros do Turismo dos dois países, Luiz Barretto e Pedro Morejón, reunidos na manhã da última quita-feira, 4 de junho, na sede do Ministério do Turismo da Venezuela, em Caracas. A exemplo do trabalho que já realiza com Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, no Japão, o ministro brasileiro propôs uma ação conjunta com a Venezuela para vender a Amazônia brasileira e venezuelana para os turistas chineses, japoneses e dos Emirados Árabes. "Vamos promover atrativos complementares de cada lado da fronteira para atrair esse turista de longa distância", disse Barretto. Viagens a Manaus, por exemplo, poderiam incluir uma visita a Salto Angel, a maior cachoeira do mundo, com quase mil metros de altura, na Venezuela. "Temos de tratar a Amazônia como um patrimônio que nos une e não nos afasta", disse Morejón.

A visita do ministro Luiz Barretto a Venezuela é a última de uma série de viagens recentes a países sul-americanos, com o objetivo de incrementar a atração de turistas dos países vizinhos. Viagens mais curtas e, portanto, mais baratas, ganham a preferência do consumidor em momentos de crise econômico-financeira, como o atual. O mercado potencial da Venezuela é grande. Do 1,7 milhão de venezuelanos que viajam ao exterior a cada ano, 50 mil vem ao Brasil, enquanto 600 mil vão aos Estados Unidos. Esse número pode crescer caso o governo da Venezuela conceda benefícios para os turistas que viajaram aos países da América do Sul. Hoje, os venezuelanos têm direito a comprar US$ 2,5 mil pelo câmbio oficial para viajar ao exterior. A idéia é que esse limite seja maior quando o destino da viagem for um país da América do Sul, o que pode influenciar na escolha por Brasil, Chile, Argentina ou outro vizinho.

O Brasil pode contribuir com a qualificação dos profissionais de turismo venezuelanos. O ministro Pedro Morejón pediu à presidente da Embratur, Jeanine Pires, que estabeleça um intercambio com a empresa de promoção de turismo venezuelana para permitir as parcerias entre os dois países. Além do ministro Barretto e da presidente da Embratur, participaram da audiência o embaixador do Brasil na Venezuela, Antônio Sims, e o diretor geral de Cooperação Nacional e Internacional do Ministério do Turismo da Venezuela,Gerard González.

Comitê Descubra Brasil

Ainda em Caracas, o ministro Luiz Barretto comandou a reunião de instalação do comitê Descubra Brasil na Venezuela. "É preciso fortalecer a relação entre os países sul-americanos para que todos possamos nos beneficiar da Copa de 2014, que não será apenas do Brasil, mas de todo o continente", disse o ministro. Estruturado nos mesmos moldes dos grupos que estão em funcionamento na Argentina, Chile, Bolívia, Colômbia, México, Paraguai, Peru, Uruguai, Equador e Espanha, o comitê reúne operadoras e agentes de turismo e companhias aéreas que vendem os destinos turísticos brasileiros. O comitê venezuelano é formado por cinco operadoras locais e pela TAM e Gol-Varig.

veja também