Budapeste: pontes encantadoras, charmosos cafés e lugares interessantes para conhecer

Budapeste: pontes encantadoras, charmosos cafés e lugares interessantes para conhecer

Atualizado: Segunda-feira, 23 Agosto de 2010 as 10:31

Colonizada pelos romanos (daí a origem dos banhos públicos), Budapeste, com pouco mais de 2 milhões de habitantes -um em cada cinco húngaros vive na capital- é dividida ao meio pelo rio Danúbio (Duna, em húngaro), formando duas áreas: Buda, de um lado, Peste, do outro, duas cidades distintas que acabaram unificadas em 1873. Buda, a oeste, abriga o castelo, tradicional cartão-postal, e possui uma atmosfera mais residencial, histórica e cultural. Já Peste é o centro comercial, com o agito da vida urbana e noturna e traços fortes de uma metrópole ocidentalizada. Em comum, pontes encantadoras, charmosos cafés, boas confeitarias, prédios grandiosos e dezenas de lugares interessantes para conhecer.

Como Budapeste unificada, ostenta muitas construções em art nouveau, sendo chamada por "Paris do Leste", ou pelas suas termas e saunas como a "capital termal". Leitores de Chico Buarque a identificam como cenário e título de um ótimo livro. E viajantes, como uma agradável cidade a desbravar.

Durante o ano acontecem diversos festivais em Budapeste e no interior do país, a conferir nos centros de informação. Entre julho e agosto ocorre o Grande Prêmio da Hungria de Fórmula 1, no circuito de Hungaroring, em Mogyoród, 22 km a nordeste da capital.

Vá a um de seus banhos termais e relaxe por horas, coma legal aproveitando uma culinária farta e preços em conta. Se estiver entre março e abril, antene-se para o Budapest Spring Festival, o maior festival do país, com danças, música e teatro, ao longo de várias cidades, com o que há de melhor da variedade cultural húngara.

Clima - Distante do oceano, o clima é temperado continental, ou seja, inverno frio e nebuloso, com bastante neve, e um verão quente.

Custos - A Hungria é um dos países europeus mais baratos para viajar - tendência a mudar devido à adesão à União Européia e a um vindouro e inevitável euro. Você ainda consegue ficar num albergue por € 12, ou duas pessoas num hotel mediano por € 40, e comer por € 3 e visitar um museu por € 2. Mochilão básico custa entre € 25 e € 35. Já uma viagem mais folgada, com direito até mesmo às tradicionais termas, fica entre € 40 e € 50. Vale aproveitar, pois esta viagem mais confortável, que custa bem mais na Europa ocidental, pode custar a mesma coisa por aqui em alguns anos.

Informações turísticas - O centro de informações da Hungria e de Budapeste, Tourinform, fica na rua Sutö 2, no centro de Peste, próximo à estação de metrô Deák tér, aberto diariamente das 8h-20h. Costuma ser útil, com prospectos e revistas sobre todas as regiões, mapa da cidade e eventualmente revistas gratuitas com a programação mensal da cidade, também encontrada em hotéis. Á venda no local o cartão Budapest Card (Budapest Kártya), que dá direito ao uso do transporte público, entrada livre em 55 museus e descontos em banhos termais (10%), restaurantes (20%) e atrações (50%), entre outros serviços e benefícios. Custa 4.350Ft/2 dias e 5.450Ft/3 dias. Outros escritórios de informações você encontra no aeroporto (terminais 2A e 2B), na estação de trem Nyugati, na Liszt Ferenc tér 11 e no Buda Castle (Szentháromság tér), mesmo horário de funcionamento. Há ainda um telefone para informações turísticas dito gratuito: 0680-630-800.

veja também