Café da manhã "quebra-torto" é atração no Pantanal

Café da manhã "quebra-torto" é atração no Pantanal

Atualizado: Terça-feira, 3 Agosto de 2010 as 2:54

Pode ser na beira de um lago, no varandão de uma fazenda ou nas proximidades do pasto. O cenário não é problema para a única regra que dita o início do dia de um peão no Pantanal: degustar seu quebra-torto, o café da manhã típico da região. A refeição, encontrada em vários hotéis e pousadas da região, também pode oferecer energia para um dia inteiro de expedições pantaneiras.

O quebra-torto é composto por ingredientes que seriam mais comuns em um almoço bem-servido. É um desjejum que tem arroz-de-carreteiro, mandioca, ovos fritos e "bolo Souza", cujo gosto lembra o do pão de queijo. Há ainda biscoitos doces, bolo de fubá, bolo de mandioca e, para beber, sucos, café, leite com açúcar queimado. E inclui também a sopa paraguaia -mas esqueça a colher: apesar do nome, ela é uma espécie de quiche de queijo.

Isso é o suficiente para o homem pantaneiro tocar suas comitivas de boi ao longo da Estrada Parque Pantanal - a mesma que serve para turistas praticarem "birdwachting" (sim, a observação de pássaros) ou, simplesmente, suspirarem ao avistar um jacaré.

Se a paciência acabar ou o calor impuser limites, não tem problema. Mais uma vez, o pantaneiro recorre à culinária da região para recuperar as forças. Como um ritual, todos os peões se reúnem no meio do dia para conversar e tomar uma cuia do chá gelado típico do pantaneiro. É o tereré, feito com folhas verdes de erva-mate, uma árvore característica do oeste do Brasil, nas divisas com Bolívia, Paraguai e Argentina.

Para o turista, saborear a bebida é um alento sob o mormaço pantaneiro e o suficiente para terminar o passeio do dia que começou com um banquete.

Por: Gabriel Fortes

veja também