Caótica, mas fascinante, Nápoles reserva tesouros artísticos e gastronômicos da Itália

Caótica, mas fascinante, Nápoles reserva tesouros artísticos e gastronômicos da Itália

Atualizado: Quinta-feira, 14 Outubro de 2010 as 2:59

Existem algumas cidades que criam um vínculo quase simbiótico com seus próprios habitantes. Um cidadão nascido em Barcelona, por exemplo, provavelmente dirá que, antes de ser espanhol, é catalão. O mesmo vale para muitos cariocas ou napolitanos.

O movimento revolucionário conhecido como Risorgimento , uma página fundamental da história italiana, terminou em 1870 com a unificação de diversos estados e a declaração da existência de um Reino de Itália. No entanto, mesmo depois de mais de um século, visitar Nápoles significa conhecer um mundo à parte.

Capital da região da Campania, Nápoles é a terceira cidade italiana por número de habitantes e, desde a época medieval, é considerada uma das maiores metrópoles europeias.

Caótica e fascinante, conserva vestígios de seu passado de colônia grega, de seu domínio pelas civilizações normada, romana, francesa, espanhola e também aqueles da monarquia Bourbon.

Muitos turistas cometem o equívoco de não incluir Nápoles em sua visita pela Itália, mas vale lembrar que, desde 1995, o seu centro histórico foi declarado um patrimônio mundial da humanidade pela Unesco.

Não é raro que a capital da Campania seja a protagonista de episódios de violência envolvendo a Camorra, a potente máfia napolitana e a criminalidade. No entanto, basta redobrar a atenção para descobrir, sem problemas, o encanto de uma cidade anárquica e atraente, que reúne atrações como o Vesúvio, igrejas históricas, um imenso patrimônio artístico, belas ilhas nas redondezas e, como se não bastasse, uma irresistível tradição culinária.

veja também