Cartilha ensina turistas a evitar golpes no Rio

Cartilha ensina turistas a evitar golpes no Rio

Atualizado: Sexta-feira, 8 Outubro de 2010 as 12:35

Folheto da prefeitura informa, entre outras coisas, preço das tarifas de [br]táxi, tempo médio de viagens entre bairros, as principais linhas de ônibus

O Rio já começou a se preparar para receber turistas no verão. A Secretaria Especial de Turismo (Riotur) lançou nesta semana a primeira cartilha da Campanha Rio Legal com informações que vão auxiliar a locomoção e permanência de visitantes brasileiros e estrangeiros na cidade.

Além de apresentar as principias linhas de ônibus da cidade, localização de caixas eletrônicos e dados sobre companhias aéreas, o impresso traz importantes informações sobre tarifas e tempo médio de viagens de táxi entre os principais bairros do Rio.

O lançamento acontece no início da temporada de cruzeiros na cidade. Em fevereiro deste ano, houve muita confusão na chegada de passageiros ao cais do porto. Turistas reclamavam que taxistas se recusavam a cobrar pelo taxímetro e exigiam até R$ 50 por pessoa para levá-los à zona sul - a corrida, em média, custaria R$ 25 no taxímetro.

"É uma iniciativa nova de campanha para o verão, mas que vai durar o ano todo. Nossa intenção é dar mais segurança para o turista e também para o carioca. Sabendo o tempo de percurso e tendo uma média do custo desse trajeto, o turista pode se proteger da extorsão praticada por alguns taxistas. O folheto traz ainda os principais números de telefone de atendimento ao turista, aos quais ele pode recorrer em caso de abuso", afirma o secretário de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello.

A cobrança de preços abusivos e a tentativa de extorquir dinheiro de turistas é queixa frequente de quem visita a cidade. O economista Eduardo Vianna, de 43 anos, diz que o pai, Ivan Jorge, passou por esse problema na terça-feira. "Ele chegou de Minas à Rodoviária Novo Rio e veio me encontrar no trabalho, no centro. Para um trajeto que custaria menos de R$ 15, o taxista cobrou R$ 30. Meu pai percebeu que tinha sido enganado e ficou revoltado, mas teve de pagar. Nunca mais pegará táxi na rodoviária."

Segundo Figueira de Mello, a informação pode proteger os turistas de problemas semelhantes. "Com a cartilha na mão, o turista vai saber que está sendo cobrado um valor absurdo e pode até chamar a polícia. O serviço de táxi é concessão da Secretaria de Transportes e sujeito a punições para quem não cumpre as regras", observa.

Divulgação. Até dezembro, todo o material de divulgação estará espalhado pela cidade em displays colocados em locais com grande circulação de turistas, como hotéis, quiosques, aeroportos e rodoviária. Junto ao folheto Rio Legal, o visitante também poderá obter o Rio Guia de Bolso, que, além de apresentar os principais pontos turísticos da cidade, museus e centros culturais, possui um mapa temático que ilustra os locais citados pelo guia.

Folheto da prefeitura informa, entre outras coisas, preço das tarifas de [br]táxi, tempo médio de viagens entre bairros, as principais linhas de ônibus

O Rio já começou a se preparar para receber turistas no verão. A Secretaria Especial de Turismo (Riotur) lançou nesta semana a primeira cartilha da Campanha Rio Legal com informações que vão auxiliar a locomoção e permanência de visitantes brasileiros e estrangeiros na cidade.

Além de apresentar as principias linhas de ônibus da cidade, localização de caixas eletrônicos e dados sobre companhias aéreas, o impresso traz importantes informações sobre tarifas e tempo médio de viagens de táxi entre os principais bairros do Rio.

O lançamento acontece no início da temporada de cruzeiros na cidade. Em fevereiro deste ano, houve muita confusão na chegada de passageiros ao cais do porto. Turistas reclamavam que taxistas se recusavam a cobrar pelo taxímetro e exigiam até R$ 50 por pessoa para levá-los à zona sul - a corrida, em média, custaria R$ 25 no taxímetro.

"É uma iniciativa nova de campanha para o verão, mas que vai durar o ano todo. Nossa intenção é dar mais segurança para o turista e também para o carioca. Sabendo o tempo de percurso e tendo uma média do custo desse trajeto, o turista pode se proteger da extorsão praticada por alguns taxistas. O folheto traz ainda os principais números de telefone de atendimento ao turista, aos quais ele pode recorrer em caso de abuso", afirma o secretário de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello.

A cobrança de preços abusivos e a tentativa de extorquir dinheiro de turistas é queixa frequente de quem visita a cidade. O economista Eduardo Vianna, de 43 anos, diz que o pai, Ivan Jorge, passou por esse problema na terça-feira. "Ele chegou de Minas à Rodoviária Novo Rio e veio me encontrar no trabalho, no centro. Para um trajeto que custaria menos de R$ 15, o taxista cobrou R$ 30. Meu pai percebeu que tinha sido enganado e ficou revoltado, mas teve de pagar. Nunca mais pegará táxi na rodoviária."

Segundo Figueira de Mello, a informação pode proteger os turistas de problemas semelhantes. "Com a cartilha na mão, o turista vai saber que está sendo cobrado um valor absurdo e pode até chamar a polícia. O serviço de táxi é concessão da Secretaria de Transportes e sujeito a punições para quem não cumpre as regras", observa.

Divulgação. Até dezembro, todo o material de divulgação estará espalhado pela cidade em displays colocados em locais com grande circulação de turistas, como hotéis, quiosques, aeroportos e rodoviária. Junto ao folheto Rio Legal, o visitante também poderá obter o Rio Guia de Bolso, que, além de apresentar os principais pontos turísticos da cidade, museus e centros culturais, possui um mapa temático que ilustra os locais citados pelo guia.

veja também