Casas de ópera para ver e ouvir

Casas de ópera para ver e ouvir

Atualizado: Segunda-feira, 22 Novembro de 2010 as 11:40

Você pode até não ser um super fã de ópera, mas os belos teatros já se tornaram parada obrigatória em qualquer viagem. Com arquitetura primorosa e ricamente decorados, eles são cheios de história e curiosidades.

Construídos para abrigar espetáculos de ópera, também são palcos de concertos de música clássica e apresentações de balé. Selecionamos o top five das chamadas opera houses para você incluir em sua próxima viagem.

Itália – Teatro alla Scala

Mais famoso teatro de ópera do mundo, o La Scala, em Milão, esbanja glamour. Inaugurado em 1778, suas poltronas vermelhas são emolduradas pelo dourado das colunas, bancadas e camarotes enquanto do teto pendem magníficos lustres de cristal. Possui a maior área cênica do mundo, com 18 metros de profundidade e 38 metros de altura.

Reaberto em 2004, após dois anos de restauração, ganhou um toque hi tech: as poltronas contam com displays de fibra ótica que permitem ao espectador ler o texto, em cinco idiomas diferentes, durante a apresentação. O teatro mantém a velha tradição de iniciar a temporada anual em 7 de dezembro, dia de São Ambrógio, padroeiro da cidade.

Seu palco já abrigou a pré-estreia de importantes óperas como Otello, de Giuseppe Verdi, em 1887, Turandot de Giacomo Puccini, em 1926, e O Guarani, do brasileiro Antonio Carlos Gomes, em 1870. Também vale a pena visitar o museu do teatro, que reúne instrumentos musicais e partituras, além de coleções dedicadas a compositores como Puccini. O tour pelas salas do teatro custa 5 euros, às terças e quintas-feiras.

Endereço: Piazza Scala Telefone: +39.02.43353521

Austrália – Sydney Opera House

Cartão postal mais famoso da Austrália, o modernoso Sydney Opera House é considerado patrimônio mundial pela Unesco. Com design de conchas projetado pelo arquiteto dinamarquês Jorn Utzon, o teatro foi inaugurado em 1973 pela Rainha Elisabeth II.

O gigantesco complexo reúne cinco teatros, cinco salas de ensaio, dois auditórios, 60 camarins, quatro restaurantes, seis bares, biblioteca e diversas lojinhas. Seu maior auditório, o Concert Hall, tem capacidade para 2.678 espectadores. Subindo seus 200 degraus, se tem uma vista espetacular da Baía de Sydney e da Harbour Bridge, lugar perfeito para boas fotos.

Há dois tipos de visita guiada. O Essential Tour mostra detalhes do magnífico edifício como seu telhado, que pesa mais de 160 mil toneladas. Com duração de uma hora, custa 35 dólares australianos, cerca de R$ 60. Já a visita pelos bastidores percorre os camarins e o fosso da orquestra, revelando o que ocorre por detrás dos holofotes. O passeio de duas horas custa 155 dólares australianos (R$ 260) e termina com uma refeição. Os tours ocorrem de segunda-feira a sábado.

Endereço: Royal Exchange Sydney 1225 Telefone: +61 2 9250 7250

Argentina - Colón

Conhecido pela sua excepcional acústica, o Teatro Colón reabriu neste ano com toda a pompa e circunstância que merece, depois de quatro anos de restauração. Como as visitas guiadas só começam em março, aproveite para chegar antes e conferir os belos detalhes da arquitetura centenária, uma mescla de neorrenascentismo e barroco.

No foyer, repare no delicado vitral da abóbada e no mosaico que forma o piso. Ao entrar na sala principal em forma de ferradura, contemple a cúpula pintada pelo renomado artista argentino Raúl Soldi. E uma curiosidade: para deixar as 2.500 poltronas mais confortáveis foram utilizados rabos de cavalo.

Artistas do quilate de Maria Callas, Enrico Caruso e Luciano Pavarotti já soltaram o vozeirão no palco do Colón.

Endereço: Avenida Cerrito, 628 Telefone: +5411 4378 7100

Áustria – Staatsoper

A capital da ópera e da música clássica não poderia deixar de ter um teatro à altura. O edifício neorrenascentista, inaugurado em 1869, é símbolo da Viena imperial. No finzinho da Segunda Guerra Mundial, um bombardeio danificou as estruturas do prédio, que foi restaurado e voltou a brilhar com o mesmo luxo de sempre.

Antes de entrar, aprecie as belas esculturas do alto da fachada: os dois cavalos voadores representam a Harmonia e a Poesia, enquanto as estátuas de bronze, fincadas em alpendres, representam o Amor, a Fantasia e o Heroísmo, o Drama e o Humor. O interior é ricamente adornado com pinturas em tela. O tour custa 6,50 euros, dura cerca de uma hora e pode ser feito de terça-feira a domingo. É oferecido em dez idiomas, incluindo alemão, inglês e espanhol.

O teatro já foi dirigido por medalhões como Richard Strauss, Gustav Mahler e Herbert von Karajan. A programação é intensa, com apresentações diárias. Só não deixe para a última hora. Assistir a um espetáculo de ópera é tão habitual aos vienenses como tomar um chopp para os brasileiros. No fim da tarde, uma grande fila se forma no seu entorno. São pessoas interessadas por ingressos de apenas dois euros, para assistir a ópera em pé mesmo. E vale a pena.

Endereço: Opernring, 1 Telefone: +43-1-51444-2606

França - Garnier

Suntuosa, a Ópera Garnier é considerada uma das obras primas da arquitetura neobarroca. A fachada é ricamente ornamentada com colunas de mármore rosa, frizos e esculturas e duas grandes estátuas douradas.

Mas seu interior consegue ser ainda mais impressionante. O salão principal é decorado com tapete de veludo vermelho e querubins folheados a ouro. O candelabro de cristal pesa mais de seis toneladas e o teto foi repintado em 1964 por ninguém menos que Marc Chagall.

Inaugurada pelo rei Luís XIV, em 1669, tem capacidade para 1979 espectadores. O teatro foi usado como pano de fundo para o romance O Fantasma da Ópera, de Gaston Leroux. As visitas guiadas duram 1h30 e podem ser feitas em inglês e francês às quartas-feiras, sábados e domingos. O preço é de 9 euros

Endereço: Place de l'Opera Telefone: 0825-05-44 05

veja também